Na noite deste sábado (7), por volta das 00h, um acidente próximo à comunidade de Papagaios resultou em três vítimas com ferimentos graves e uma fatal.
Segundo relatos do Grupamento de Bombeiros da cidade Formiga, eles foram acionados a comparecer à rodovia que liga Formiga à comunidade de Albertos. No local, os Bombeiros encontraram quatro vítimas presas às ferragens. Dois deles estavam no veículo Uno, placa GLG-6641, de Formiga, que seguia sentido a Albertos, e outros dois no Honda Civic, placa HGT-1979, de Teófilo Otoni, que seguia sentido Formiga. Ainda por motivos não identificados, os veículos colidiram frontalmente.
O Uno era conduzido por Matheus Caetano Pires, que teve ferimentos graves e o Honda Civic era conduzido por Wendel César Teixeira e tinha como passageiro Leandro José Ramos, que também tiveram ferimentos graves. Todos os envolvidos no acidente eram de Formiga.Wendel Teixeira é repórter da TV Globo em Belo Horizonte e estava de folga visitando seus pais em Formiga.
Os feridos foram socorridos pelos Bombeiros, juntamente com enfermeiros da Secretaria de Saúde de Formiga e encaminhados ao Pronto Atendimento Municipal.
O passageiro do Uno, Pablo Caetano Silva Lacerda, de 23 anos, em virtude dos ferimentos, faleceu no local.
Muito óleo e gasolina se espalharam na pista. Como havia movimento naquela rodovia, devido à festa que ocorria no Pompeii, duas enormes filas de carros se formaram nos dois sentidos. A Polícia Militar teve bastante trabalho para liberar a pista com segurança. Foi preciso jogar areia e serragem para evitar novos acidades, uma vez que a pista ficou escorregadia.

Estatística que impressiona
Em um trecho de aproximadamente cinco quilômetros, somente nos últimos oito dias, ocorreram três acidentes graves, deixando um saldo de duas vítimas fatais e quatro vítimas com ferimentos graves. Somente no final de semana passado, um jovem de 21 anos morreu no local em um acidente de moto e outro acidente resultou em uma vítima com ferimentos graves.
A mistura de rodovia mal sinalizada, estreita e sem acostamento, com curvas em sequências e mal planejadas, somadas ao excesso de velocidade e, muitas vezes, ao abuso de álcool, resultam nas estatíticas negativas e que ninguém gosta de ver e nem de ouvir. Isso faz deste trecho uma das rodovias mais perigosas da região, está perdendo inclusive para a famigerada Curva da Morte, na BR-354, entre Formiga e Arcos, que, felizmente, há um bom tempo não registra acidentes fatais.

Comentários