A chegada de mais um feriado prolongado, em meio ao avanço da variante Delta do coronavírus em Minas, é sinônimo de preocupação devido ao risco de aglomerações ou quebra de protocolos sanitários. Para alguns médicos, mesmo quem se vacinou deve evitar viagens. Já as autoridades públicas defendem um turismo responsável, com rigoroso cumprimento das normas de segurança.

O alerta não pode ser ignorado, pois a previsão é de movimento intenso nos principais destinos turísticos do Estado. Em cidades tradicionalmente procuradas, a maioria dos hotéis e pousadas está com ocupação esgotada. Nas poucas ainda com vagas, o passeio depende de gastos elevados, podendo chegar a R$ 8,9 mil.

Nesses locais a lotação será máxima, pois 13 das 14 regiões está na Onda Verde do Minas Consciente, que permite a utilização completa. Na Serra do Cipó, a 100 km de BH, não há mais vaga nas pousadas.

Em Capitólio, conhecido pelas belezas naturais, também não há mais opções na maioria dos locais. O cenário é praticamente o mesmo em Tiradentes, onde alguns hotéis estão com a capacidade esgotada há duas semanas. Já em Ouro Preto há pousadas sem quartos disponíveis há um mês. As poucas opções custam de R$ 2.876 a R$ 3.260 pelos quatro dias. 

Quem ainda pretende viajar deve repensar. “A variante Delta pode infectar a pessoa, levando o vírus para outras que não estão plenamente vacinadas. Então, a gente está nessa ameaça, não é o momento. Todo cuidado ainda é pouco”, afirma o infectologista Unaí Tupinambás. 

Para aqueles que não vão abrir mão do passeio, a orientação é seguir as medidas sanitárias. O secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, disse que “está na hora de normalizar a vida”, mas cuidados. 

“Não adianta a gente achar que as pessoas não vão se encontrar. Então, vamos evitar locais fechados, de alta propagação e com muitas pessoas. Temos que incentivar o turismo seguro, os hotéis têm protocolos bem estabelecidos”.

Em nota, a Prefeitura de Ouro Preto informou orientar visitantes quanto ao distanciamento e uso obrigatório de máscara, e que há fiscalização por parte da Secretaria de Defesa, com apoio da Guarda Municipal. As administrações de Santana do Riacho e Tiradentes também foram procuradas, mas não deram retorno até o fechamento desta edição.

Além disso

Quem decidir viajar no feriado, além do perigo da variante Delta, ainda pode encontrar manifestações políticas contra e a favor do presidente Jair Bolsonaro.

Protestos estão programados para o próximo dia 7 e devem ocorrer em diversas cidades do Brasil, incluindo Belo Horizonte. Há, ainda, ameaças de fechamento de estradas, em ações envolvendo caminhoneiros.

Na capital, os atos estão marcados para o mesmo local. Os manifestantes pró-bolsonaro vão se concentrar no Mineirão, às 9h, e seguirão em motociada para a Praça da Liberdade, onde está previsto protesto contra o presidente, às 10h.

Fonte: Hoje em Dia

Comentários