Foram dois dias batendo na trave. Na quarta-feira, na prova dos 100m, a diferença foi mínima. Na tarde de quinta, o brasileiro entrou tenso na piscina do Clube Pinheiros, após um atraso de 10 minutos na bateria anterior à sua. Mesmo assim, nadou abaixo do tempo que lhe valeu o título Mundial em Roma, neste ano, e ficou perto de quebrar o recorde do francês Frederick Bousquet (20s94). Nesta sexta, não teve jeito. Com 20s91, na raia 4, pelo torneio Open, ele deixou a tensão de lado e, enfim, superou a marca.
Agora, o brasileiro é dono dos recordes dos 50m e 100m livre. Após a prova, que reuniu os oito melhores entre as categorias sênior e júnior, o nadador assumiu a ansiedade de entrar na piscina nesta sexta.
Eu queria muito terminar este ano como dono do recorde nos 50m e 100m livre. Bati na trave dois dias no campeonato. Eu já estava engasgado com esses recordes aqui. Toda hora batia na trave. Não aguentava mais ouvir o pessoal gritar uhuuu. Acordei 3h da manhã de ansiedade. É difícil controlar, mas, graças a Deus, deu tudo certo.
O brasileiro ainda vai voltar à piscina na tarde desta sexta. O campeão olímpico e mundial, e agora recordista nos 50m e 100m livre, vai abrir o revezamento brasileiro do 4x100m.

COMPATILHAR: