O projeto 039/2009, que reajusta o vale alimentação dos servidores da Prefeitura, foi aprovado na reunião da Câmara Municipal de ontem (9), após alguns impasses. O referido projeto estava na pauta de votação e foi retirado pela mesa diretora para ?forçar? um diálogo entre os membros do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Formiga (Sintramfor) e a administração municipal, a fim de que o valor do benefício chegasse aos R$100 prometidos pelo prefeito Aluísio Veloso/PT. A votação aconteceria em uma extraordinária até então marcada para a próxima sexta-feira (14).
O vale alimentação atual é de R$80 e passará para R$90 a partir do dia 20 de março. A diretoria do Sintramfor tentou negociar os R$100 com a administração, entretanto, foi convencida de que era inviável no momento, devido a problemas financeiros.
Conforme explicou a presidente do Sintramfor, Ana Paula de Melo, houve um consenso de que o vale seria de R$90 desde que se mudasse a lei concedendo o benefício durante as férias e licença médica, o que não acontecia até então. ?Os dois lados cederam. Pelo sindicato, votaria assim e depois tentaríamos aumentar para R$100? , disse Ana Paula ontem na Câmara, quando os vereadores confirmaram a retirada do projeto da pauta de votação.

O impasse
A diretoria do Sintranfor deixou o plenário do Legislativo contrariada, o que levou o presidente da Câmara, Reginaldo Henrique dos Santos/PCdoB, a entrar em contato com Ana Paula para esclarecer o assunto. No momento em que Dr. Reginaldo ligou para a presidente do sindicato, foi informado de que, se projeto não fosse votado ontem, o reajuste não seria concedido este mês.
Segundo Ana Paula, o benefício tem que ser depositado sete dias úteis antes do pagamento, que é efetuado no dia 20. Assim, o dinheiro teria que estar na conta até a próxima quarta-feira (11) e, se o projeto fosse votado na sexta, o prazo seria insuficiente e os servidores não receberiam o reajuste este mês.
Para evitar prejuízos ao funcionalismo público, Dr. Reginaldo resolveu votar o projeto, mas deixou claro que a assessoria jurídica da Câmara vai verificar a veracidade das informações. ?A informação que tivemos mais cedo foi de que o prazo seria até sexta […] A Câmara reconsiderou porque não queria prejudicar ninguém […] Esperamos que a informação seja verdadeira, porque, se for mentirosa, é grave? , ressaltou o presidente.
Dr. Reginaldo enfatizou que o Projeto deu entrada na Câmara na Quarta-Feira de Cinzas, dia 25, começou a tramitar na reunião do dia 2 e foi votado no dia 9, ou seja, em sete dias, o que, para ele, é tempo recorde. Ele disse ainda que, mesmo com o projeto aprovado, vão encaminhar ao Executivo um pedido para incluir os R$10 no vale alimentação.

Comentários
COMPATILHAR: