O Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) realizado em Arcos, entre os dias 15 e 17 deste mês, apontou índice geral de infestação vetorial de 5,4%.
Segundo o supervisor da Vigilância Epidemiológica, Geraldo Moura, a situação é de alto risco e exige atenção e mobilização de toda população. Cerca de 16 agentes de saúde pesquisaram 905 imóveis na cidade.
A maioria dos focos, cerca de 88% foram encontrados em residências. Os outros 12% estão em terrenos baldios.
Geraldo Moura revela, ainda, que a região Centro-Oeste está sob alerta devido à introdução do vírus 4, no estado de Minas Gerais, evidenciando o risco de transmissão e, consequentemente, de uma nova epidemia.
A orientação da Vigilância Epidemiológica é para que a população realize uma varredura nas residências e proximidades, com o intuito de eliminar os criadouros do mosquito.
Combate e prevenção
Segundo o Governo Municipal, as ações de rotina da Vigilância Epidemiológica, como as visitas a residências e inspeções, serão intensificadas para evitar uma epidemia, como a enfrentada em Arcos no final de 2009 e início de 2010.
Geraldo Moura informa que ações complementares serão iniciadas a partir desta semana. Os secretários de Obras, Educação, Saúde, Cultura, Esporte, Lazer e Turismo, funcionários do setor de Posturas, o chefe da Vigilância Sanitária e o chefe do Almoxarifado de Arcos estiveram na sede da Vigilância Epidemiológica, na sexta-feira (18), para traçar metas a serem desenvolvidas no combate à dengue.
Dados do LIRAa
Total de imóveis pesquisados no município: 905
Focos encontrados em residências: 88%
Focos encontrados em terrenos baldios: 12%
Índice geral de infestação do município: 5,4% (alto risco)

Comentários
COMPATILHAR: