E 2017 chegou a todas as cidades brasileiras trazendo novidades. Prefeitos recém-eleitos, alguns, poucos felizmente, reincidentes no cargo, outros noviços! E no geral, como não podia deixar de ocorrer, com eles, chega também uma razoável quantidade de novos ou velhos componentes, alguns conhecidos outros não, para gerirem os quadros das administrações que assumem o comando de nossas cidades. Dentre estes, gente da própria terra e outros remanescentes de outras praças. Mas isto pouco importa. O que nos interessa mesmo, enquanto cidadãos conscientes, eleitores ou não, é que as escolhas havidas por quem de direito, além de serem composta por gente da confiança de nossos dirigentes maiores, aportem logo em nossas cidades, trazendo consigo a disposição de defendê-las como se suas fossem e carreguem uma gama de conhecimentos capazes de nos auxiliar a resolver de vez, ou de pelo menos minorarmos os problemas que nos afligem. Alguns há longos anos!

Estes, sem dúvida, só existem em razão daquilo tudo que os então candidatos, nesta e em outras cidades, via de regra, juraram combater com afinco, convencendo a todos nós que os  elegemos que eles seriam fiéis quanto ao cumprimento das tais promessas, muitas delas registradas nos planos governamentais, outras, feitas apenas verbalmente, mas de igual valor.

E agora, decorridos pouco mais de 10 dias de suas posses, certamente as populações das nossas cidades já têm a partir das primeiras providências oficiais, condições de traçar, ainda que prematuramente, um perfil do que nos espera nos próximos quatro anos.

Aqui em Formiga, as redes sociais já refletem isso!

Hoje, oficialmente soubemos que Eugênio determinou que nem um centavo será investido no carnaval. É sem dúvida uma atitude sensata e corajosa! Realmente não há como fazer festa em casa que falta comida, remédio e, pelas mesmas razões, os prefeitos de Passos e Pouso Alegre tomaram, também acertadamente a mesma decisão.

Eugênio foi mais longe que eles e, ao tratar deste assunto, declarou que espera no próximo ano, com as finanças municipais sob controle, poder patrocinar um carnaval à altura do anseio dos formiguenses que, a bem da verdade, há alguns anos não sabem o que é isto.

Que a nova equipe chefiada por Eugênio possa realmente cumprir mais esta promessa, pois, quando isto ocorrer, estará demonstrado a todos que a época das vacas magras, do arrocho, finalmente chegou ao fim.

Com o aval de mais de 80% dos eleitores formiguenses, nosso prefeito, se puder contar com o apoio do Legislativo e a confiança do povo, quem sabe, possa até vir a implementar as “medidas duras, impopulares” que seu secretário Arnaldo Gontijo, que comanda três de seus mais importantes departamentos (Obras, Gestão Ambiental e Planejamento), fez questão de mencionar nesta semana, durante reunião havida às margens da Lagoa do Fundão, quando membros da comunidade ali representados mostraram ao secretário, que os formiguenses querem se somar à administração na busca de soluções para os problemas que nos afligem.

É importante sabermos, nós e eles, que até mesmo as medidas inicialmente tidas como mais duras ou impopulares, acabarão sendo aceitas, ou melhor, digeridas quando se traduzirem numa prestação de serviços mais eficiente e à altura das reivindicações populares.

Nos parece que a população, não só a formiguense, mas a brasileira, está sim disposta a agir, a cooperar, desde que os sacrifícios a ela impostos sejam distribuídos de forma mais justa e equilibrada, cortando se preciso for, os privilégios de uns ‘poucos’ para não sacrificar a muitos.

E este recado vindo da voz rouca das ruas e que é ecoada na maioria das demais cidades brasileiras, vale para todos os nossos dirigentes sejam eles do Executivo, do Legislativo ou do Judiciário.

Comentários