Neste domingo (15), milhares de pessoas no Brasil estão nas ruas em protesto contra a corrupção, a falta de transparência do governo e por mais segurança, saúde e educação. Representantes dos Movimentos Muda Brasil e Brasil Livre se reuniram em Juiz de Fora usando adesivos contra o Congresso, camisas contra a presidente Dilma Rousseff e narizes de palhaço.
No Rio de janeiro, manifestante exibe cartaz pedindo fim da reeleição e mais pessoas continuam chegando à Praia de Copacabana. Em Pernambuco, o administrador de empresas Hugo Lins, que apoia o movimento Vem pra rua, vende camisetas que dizem ?basta? durante ato em Recife. É uma forma de ajudar a financiar o movimento. Tem ambulância, médico, aluguel de trio, etc?.
O protesto em Campinas começou às 9h30, com concentração no Largo do Rosário. Há mil pessoas, segundo a organização. Eles devem sair em passeata pelo centro.
Na Bahia, manifestantes protestam mesmo com chuva no Farol da Barra, em Salvador.
Dilma publica vídeo
A presidente Dilma Rousseff publicou neste sábado (14) em sua página oficial no Facebook um vídeo em que defende a livre manifestação. A gravação foi feita durante entrevista coletiva após cerimônia de entrega de unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida em Rio Branco (AC), na última quarta-feira (11).
Em sua fala, a presidente disse que é de uma época em que não era possível organizar protestos nas ruas. Segundo ela, durante sua juventude, quem se manifestava ?ia diretamente para a cadeia ou era chamado de subversivo e nomes piores?.
?[O governo] não tem o menor interesse, o menor intuito nem tampouco o menor compromisso com qualquer processo de restrição da livre manifestação. Neste país, nós temos o direito de manifestar. O que não temos o direito é de ser violentos. Sabemos que isso não pode acontecer?, disse a presidente.
O que eu acho é o seguinte: a livre manifestação é algo que o Brasil tem de defender e tem, ao mesmo tempo, de defender que ela seja de forma pacífica, complementou.
Na sexta-feira (13), 33 mil pessoas, segundo as autoridades policiais, e 175 mil, segundo organizadores, foram às ruas para protestar em defesa da Petrobras e a favor do governo Dilma Rousseff. Os manifestantes, que foram convocados por centrais sindicais e outras entidades, também reivindicaram direitos dos trabalhadores, reforma agrária e reforma política.

Comentários
COMPATILHAR: