Um asteroide cinco vezes maior que um navio transatlântico vai passar nesta sexta-feira (31) a 5,8 milhões de quilômetros da Terra, uma distância curta em termos astronômicos, informou a agência espacial norte-americana (Nasa).
Chamado 1998 QE2, ele será observado por meio de telescópios e radar pelos cientistas, que esperam obter imagens de alta resolução que poderão revelar muita coisa sobre as suas características, disse o astrônomo Lance Benner. Seguindo a trajetória atual, o 1998 QE2 só voltará a aproximar-se da Terra, dessa forma, dentro de cerca de 200 anos. O asteroide, que mede cerca de 2,7 quilômetros de diâmetro, não poderá ser observado a olho nu ou com binóculos: sua baixa luminosidade só o torna visível aos telescópios mais potentes.
O interesse público nos objetos celestes que passam perto da Terra reacendeu-se depois da queda do meteorito de Chelyabinsk, na Rússia, em fevereiro passado.
Além da Nasa, a Casa Branca seguirá com atenção o trajeto do asteroide, uma vez que a administração norte-americana aposta em convencer o Congresso a liberar mais verbas para vigiar os objetos que se aproximam da Terra. Temos que encontrar os asteroides antes que eles nos encontrem, disse o assessor de Política Espacial da Casa Branca, Phil Larson.
O programa espacial dos Estados Unidos prevê o envio de astronautas que capturem um asteróide até o ano 2020.

Comentários
COMPATILHAR: