Fora de casa, o Atlético se impôs no primeiro tempo, contou com um gol do atacante Eduardo Sasha e derrotou o Coritiba por 1 a 0 na noite deste domingo. O triunfo no Couto Pereira, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, diminui a distância entre a equipe alvinegra e a primeira colocação.

Com a vitória – a segunda seguida na Série A -, o Atlético retoma a terceira posição, com 15 pontos – dois a menos que o líder Internacional e um a menos que o segundo colocado São Paulo. O time alvinegro, porém, tem o melhor aproveitamento da competição, já que disputou um jogo a menos que os rivais que estão à frente.

As equipes voltam a campo nesta quarta-feira, pela nona rodada. Às 18h, a bola rola na Serrinha, em Goiânia, para o duelo entre Goiás e Coritiba. Mais tarde, às 21h30, é a vez de Santos e Atlético se enfrentarem na Vila Belmiro. Será o reencontro do técnico Jorge Sampaoli com o clube que dirigiu em 2019 – e que agora é comandado por Cuca, ídolo atleticano.

Confusão de uniformes

A partida no Couto Pereira ficou marcada por uma confusão nos uniformes das equipes. Antes do jogo começar, a arbitragem apontou que as vestimentas de Coritiba e Atlético eram parecidas demais, por conta da predominância da cor branca nas duas camisas. A bola rolou mesmo assim.
No intervalo, os times mudaram os uniformes. O Coritiba vestiu a camisa predominantemente verde, enquanto o Atlético substituiu o tradicional alvinegro pelo branco. 

Domínio absoluto

Quando o árbitro Diego Pombo Lopez apitou o fim do primeiro tempo, as estatísticas davam mostras do domínio absoluto do Atlético: 65% de posse de bola, 316 passes trocados (136 a mais que o Coritiba) e dez finalizações (contra apenas uma dos donos da casa).
Bastante ofensivo, o Atlético se impôs desde o primeiro minuto. A equipe alvinegra chegava bem pelos dois lados e, após um início com dificuldades para levar perigo ao gol defendido por Wilson, conseguiu boas finalizações.

Guga Igor Rabello acertaram a trave. No rebote do cabeceio do zagueiro – que se originou de uma cobrança de escanção -, a bola se apresentou a Eduardo Sasha, que, como um autêntico centroavante, só empurrou para as redes, aos 30’: 1 a 0

Defensivamente, o Atlético pouco sofreu. A única finalização dos donos da casa foi para fora e não levou perigo ao goleiro Rafael.

Coritiba equilibra, mas vantagem atleticana se mantém

 Amplamente dominado na etapa inicial, o Coritiba voltou com uma alteração para o segundo tempo: o atacante Igor Jesus substituiu o volante Matheus Galdezani. Logo aos 2’, o jovem de 19 anos protagonizou o lance mais perigoso da equipe até aquele momento: após cruzamento de Sassá, cabeceou no chão. A bola passou perto.

Pouco depois, outra boa oportunidade: Robson cabeceou para defesa de Rafael. No rebote, Sassá chutou em cima da marcação. A melhora fez Jorginho modificar mais uma vez a equipe, com a entrada de Hugo Moura na vaga de Giovanni Augusto. Sampaoli, então, contra-atacou e tirou Hyoran para a entrada de Guilherme Arana. A equipe alvinegra havia iniciado o jogo sem um lateral-esquerdo de origem, com o volante Allan improvisado no setor.

A ofensividade do Coritiba fez a partida ficar mais aberta, com chances para os dois lados. Com mais posse de bola no segundo tempo, os donos da casa rondavam a área rival, mas tinham dificuldade para infiltrar. O Atlético, por sua vez, se armava para os contra-ataques.

Aos 47′, o time alvinegro puxou contra-ataque que acabou nos pés de Savarino, que, sem goleiro – já que Wilson havia ido tentar o cabeceio na área adversária – perdeu o gol de forma incrível. Mas não fez falta. No fim das contas, triunfo alvinegro fora de casa.

Fonte: Super Esportes

Comentários