O salário mínimo de R$ 510 levou o Conselho Monetário Nacional (CMN) a aprovar resolução aumentando os limites das contas especiais de depósito à vista, ou contas simplificadas. Essas contas foram criadas com o objetivo de facilitar o acesso da população de baixa renda aos serviços bancários, quando o salário mínimo era de R$ 260.
Agora, segundo a resolução, ?o saldo que pode ser mantido na conta, a qualquer tempo, incluindo o somatório dos depósitos nela efetuados em cada mês, e considerados todos os créditos a ela destinados, qualquer que seja a origem, natureza, finalidade ou forma de efetivação, é aumentado de R$ 1 mil para R$ 2 mil?.
Também foi reajustado para R$ 5 mil o valor para o bloqueio da conta. Antes, segundo informações divulgadas após reunião do CMN ocorrida nesta terça-feira (22), se o correntista tivesse, a qualquer momento, em determinado mês, valor superior a R$ 3 mil, independentemente da quantidade de excessos do saldo ou do somatório dos depósitos verificados em cada período de um ano da conta, ela ficaria bloqueada.
Números do BC indicam que existem 5,7 milhões de contas simplificadas no país.

Comentários
COMPATILHAR: