Na oitava semana do Especial ?Formiga de Bairro a Bairro?, a equipe do jornal Nova Imprensa e do portal Últimas Notícias visitou um local que é um pouco mais afastado do centro da cidade: o bairro Industrial.
Ao percorremos este bairro, descobrimos que lá não tem nenhum atrativo e o local que seria um pólo de confecção, que poderia ser o melhor atrativo do bairro, virou uma ?casa de morada?, que foi emprestada por um secretário para uma família.
Saúde
Segundo o presidente da Associação dos Moradores do Bairro Industrial, Édson José Ferreira, mais conhecido como Rachid, mesmo os moradores sendo atendidos pela Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Souza e Silva, não têm muitos problemas com este setor, pois o médico que fica de plantão, segundo ele, é muito competente. O posto do Souza e Silva atende moradores de cinco bairros circunvizinhos, então é feito o revezamento: cada dia da semana um bairro tem prioridade de 10 fichas e as outras 10 ficam para os outros bairros.
Os únicos problemas que enfrentam é a questão da distância até chegar ao posto e também um pouco da falta de estrutura da unidade de saúde, pois, de acordo com o presidente, ?está bom, mas podia ser melhor?.
?Até parece que lá é uma ponta da cidade, está no finalzinho da cidade, eles pensam que lá só tem índio e nós somos bem maltratados, porque, em cinco anos de governo deste governo que está aí, no meu bairro não tem nada, nada deste governo lá, mas pelo menos na questão da saúde sempre fomos bem atendidos? ressalta o presidente da associação.
Segurança
O presidente da associação de moradores afirma que o bairro Industrial, apesar de ser um local que as pessoas pensam ser sem segurança, é até um bairro muito seguro, pois não são vistos casos de tráfico de drogas, nem ladrões e a maioria dos jovens são muito tranquilos. Além disso, pessoas de outros bairros quase não frequenta o Industrial. Rachid até brinca que ?lá é igual um condomínio, porque tem apenas uma entrada e saída?.
Infraestrutura
O bairro Industrial tinha vários projetos de infraestrutura, mas, infelizmente, poucos foram executados. Houve um projeto de uma horta comunitária, até conseguiram sacos de adubos, mas precisavam de máquinas para arar, gradear o local determinado, mas, sem dar nenhuma satisfação, ninguém do Executivo compareceu ao local e esta promessa já tem quatro anos.
O presidente conta que a prioridade do bairro é em relação ao calçamento, porque só tem uma rua asfaltada e, ainda assim, tem vários buracos. Muitas da vezes, as pessoas do bairro usam medidas paliativas para deixar esta rua em condições trafegáveis.
O presidente ainda ressalta que, na época em que o Jaime Mendonça era prefeito, com o auxílio de vários empresários, seria construído um pólo de confecções. O barracão até foi construído, entretanto, hoje, ele é usado para moradia por uma família.
O maior problema do bairro é ter apenas uma entrada, pois este problema impede que a lotação passe pelo local. Segundo o presidente da associação de moradores, o caso é fácil de se resolver, pois tem outra rua que passa ao lado da antiga fábrica de macarrão, mas, ao invés de a Prefeitura querer resolver o problema, segundo Rachid, a administração municipal quer é doar a rua para o dono da fábrica.
?Eu entrei com um abaixo assinado para que possam abrir a rua para nós, teve uma votação favorável, levei em todas as secretarias que pediram, e isso tem dois anos e nada foi feito até hoje. Eu vou fazer uma manifestação no asfalto da MG-050, juntar pessoas do bairro e fazer uma paralisação na 050?, reclama Rachid. E ele ainda avisa: ?este problema é uma reivindicação nossa e é uma promessa minha. Enquanto eu estiver no mandato de presidente do bairro, pelo menos isso eu vou fazer, então, se eles não derrubarem o muro e abrirem a rua, o muro de Berlim é muito mais famoso que aquele ali, eles derrubaram, nós vamos derrubar aquele muro.?
Esportes
O bairro Industrial possui em suas dependências apenas um campo de futebol, porém, segundo o presidente da associação, tem mais de dois anos que ninguém pratica esportes lá, pois o campo tem é ?braqueara? em vez de grama, que é um tipo de vegetal que cresce muito e impede a bola de rolar.
O presidente também ressalta que este campo é um lugar enorme e está desperdiçado e, segundo ele, neste local daria para dividir em 21 lotes e ainda sobraria espaço para construir uma quadra poliesportiva, que ele avalia ser muito mais viável do que um campo. ?Hoje, a gente tem que se preocupar é com o jovem, ocupar o jovem na arte, no esporte, porque senão eles desencaminham e depois, para recuperar um jovem que entrou no mundo das drogas, é muito difícil?, alerta Rachid.
Associação do bairro Industrial
A Associação dos Moradores do Bairro Industrial já foi muito participativa e também representativa. ?Antes, nos distribuíamos cestas básicas para a população carente, além de levar as reclamações da população até os órgãos competentes?.
Segundo o presidente, as reuniões eram feitas no barracão onde seria o pólo de confecção, porém, uma mulher pediu a um secretário para morar no barracão. O presidente não foi procurado, mas o secretário autorizou e este mesmo secretário falou que iria providenciar outra sede para a associação, mas, segundo Rachid, até hoje, não foi levantado nenhum tijolo.
Mensagem ao Legislativo e ao Executivo
Edson Ferreira, o Rachid, está sempre presente nos órgãos públicos e participa de quase tudo que envolve a Prefeitura e a Câmara Municipal. A mensagem dele ao Executivo e ao Legislativo é a seguinte: ?Eu agradeço os vereadores porque votaram favorável a abrir a rua como eu pedi, eles votaram, nós fomos atendidos e eu agradeço realmente, pois sou bem recebido na Câmara. Agora, para o prefeito, eu elogio o prefeito pelo trabalho que ele tem feito na cidade, ele tem feito muita coisa boa na cidade, só que o secretariado deixa a desejar, uns são incompetentes e outros são maus?.

Comentários