A decisão de iniciar a greve foi tomada na terça-feira (28) por cerca de 500 funcionários de instituições financeiras, que se reuniram na assembleia geral da categoria, promovida na sede do Sindicato dos Bancários de BH e Região, que, além da região metropolitana engloba cidades do interior do Estado. Até a noite de ontem a greve havia sido aprovada por bancários de sindicatos de 24 Estados e do Distrito Federal.
Entre as reivindicações, os trabalhadores pleiteiam reajuste salarial de 11%, participação nos lucros e resultados (PLR) de três salários mínimos mais R$ 4 mil, vale-refeição, cesta alimentação e auxílio-creche/babá nos valores de um salário mínimo.
De acordo com o sindicato, as negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), braço da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que negocia com os trabalhadores, não avançaram depois de mais de 30 dias.

Comentários