A Polícia Militar (PM) começou na quarta-feira (3) a distribuir os novos policiais que se formaram há uma semana. Ao serem informados sobre as cidades onde deverão trabalhar, os novatos viajaram e participaram de etapas de ambientação nessa quinta-feira (3). A 7ª Região de PM, que contempla 50 cidades do Centro-Oeste de Minas, recebeu 147 soldados.

O 23º Batalhão em Divinópolis vai contar com 16 militares. Já o 63º Batalhão, em Formiga, recebeu 19 militares e Nova Serrana,  outros 37. De acordo com o coronel Helbert Willian Carvalhaes, existem iniciativas em andamento com objetivo de aumentar ainda mais a quantidade de policiais nas ruas.

“Nós já temos um concurso em andamento para contratar mais 56 militares que começarão o curso no dia 1º de novembro. Também existe um processo de reformulação com o objetivo de contratar empresas terceirizadas para a execução dos serviços internos e, assim, liberar para as ruas os policiais que hoje ocupam funções administrativas”, explicou.

A PM de Minas Gerais tem 19 regionais. Dessas, apenas quatro contam com batalhões em suas cidades sede. Uma delas é Divinópolis, onde fica o 23º Batalhão. Essas quatro regiões foram autorizadas a ter soldados que ainda estão no curso de formação.

“A orientação agora é dar atenção às cidades menores por causa da chamada ‘interiorização do crime’. Como cidades menores estão registrando elevação na criminalidade e têm contingente policial bem menor, existe a necessidade de atenção especial a essas localidades, onde têm ocorrido inclusive a maior parte dos ataques a caixas eletrônicos”, acrescentou.

A PM está tentando, inclusive, reduzir o tempo de duração do curso de formação de novos soldados que hoje é de nove meses. “Entendemos que esse tempo poderia ser menor se houvesse um redimensionamento de algumas disciplinas. Hoje o policial já entra na PM com curso superior. Essa bagagem obtida no mundo acadêmico é muito diferente daquela com a qual o candidato ingressava na corporação antigamente, logo ao completar 18 anos e apenas com o ensino médio completo. O PM pode, agora, estudar menos no curso de formação, sem prejuízo à qualidade do ensino”, finalizou.

 

Fonte: G1 ||

Comentários