Apesar do aumento de 6,56% nos acidentes nas rodovias que cortam Minas Gerais sob a responsabilidade da Polícia Militar Rodoviária (PMRv) – que passaram de 6.820 em 2011 para 7.268 no ano passado -, houve redução de cerca de 16,9% no número de mortes.
Em 2012, 123 pessoas morreram em estradas monitoradas pela corporação, contra as 148 de 2011, segundo a PMRv.
De acordo com a assessoria de comunicação da corporação, a diminuição das mortes é atribuída a trabalhos pontuais nas rodovias. Na MG-010, por exemplo, onde há registros de motoristas transitando com excesso de velocidade, os policiais buscam fazer mais operações com radares para evitar acidentes por essa motivação, segundo a PMRv.
Já a elevação no número de acidentes, segundo o órgão, é normal, porque acompanha o aumento da frota de veículos, que é de aproximadamente 10% ao ano, segundo eles.
O ideal seria não ter mortes, e essa redução, mesmo sendo um bom indício, pode ser apenas uma oscilação natural, opina a professora do Departamento de Engenharia de Transportes da
Universidade Federal de Minas Gerais, Heloisa Maria Barbosa. Segundo a especialista, não se pode atribuir a redução das mortes a apenas um fator, mas, sim, a um conjunto de ações, como o aumento da prudência por parte dos condutores e as melhorias das vias federais. Entre 2011 e 2012, houve redução de 24,7% nas mortes nas rodovias federais que cortam Minas, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Enquanto, no ano retrasado, houve 1.304 vítimas, 982 óbitos foram registrados em 2012.
Os acidentes nas BRs que cortam o Estado, que reduziram em 19,53% – de 27.429 em 2011 para 22.072 no ano passado -, têm sido menos violentos. Além da redução da quantidade de vítimas, também foi menor o número de feridos – entre leves e graves -, que passou de 16.531 em 2011 para 13.531 no ano passado, uma redução de 18,14%.

Comentários
COMPATILHAR: