A Polícia Federal abriu inquérito para averiguar os boatos que levaram beneficiários de 13 Estados a entrarem em desespero após a informação do cancelamento do programa Bolsa Família. A estratégia será ouvir os primeiros beneficiários que, no sábado, foram sacar o benefício, para tentar descobrir a origem do boato. A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, disse que o governo quer entender como as informações falsas foram propagadas para evitar a repetição do problema. ?A grande preocupação nossa, a grande preocupação da presidente, a grande preocupação de todo o governo, da Caixa, é criar mecanismos para que isso nunca volte a acontecer, porque realmente pessoas foram muito prejudicadas,? disse.
Segundo ela, ainda hoje a Caixa começaria a enviar mensagens de texto aos beneficiários que têm celular para informar que o programa não será interrompido. Em outra frente, Tereza participará nesta terça-feira do programa semanal de rádio ?Bom dia, ministro?, que será dedicado a esclarecer a população. ?Isso nunca aconteceu. Temos dez anos de programa, nunca tivemos um episódio dessa natureza?.
A ministra disse que, em média, cerca de 100 mil a 200 mil saques são feitos aos sábados, tanto em lotéricas quanto em máquinas da Caixa. No último sábado, porém, esse número chegou a 500 mil. Somando os saques realizados no domingo, cerca de 900 mil pessoas foram às lotéricas e agências, causando muitos tumultos.
Tereza explicou que, para evitar confusão ainda maior no fim de semana, a Caixa autorizou o saque antecipado de quem, em tese, só poderia receber o dinheiro nos dias seguintes. O calendário de pagamento vai até 31 de maio. Hoje, segundo a ministra, cerca de 450 mil pessoas tinham ido pegar o benefício até o meio-dia. A Caixa informou em nota que o movimento de clientes foi atípico no fim de semana em agências de 13 estados: Pará, Piauí, Paraíba, Bahia, Pernambuco, Ceará, Maranhão, Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Norte, Amazonas, Tocantins e Rio.

Comentários
COMPATILHAR: