A Justiça condenou a Vale a pagar R$ 80 mil em danos morais a motorista terceirizado sobrevivente da tragédia de Brumadinho, ocorrida em 25 de janeiro de 2019.

O condutor saiu do local antes do acidente, mas correu risco de morte iminente, no entendimento da Oitava Turma do TRT-MG. A decisão foi publicada no site do Tribunal Regional do Trabalho nesse domingo (24).

Inicialmente, o valor da indenização era de R$ 200 mil, mas foi reduzido em função dos princípios de proporcionalidade e razoabilidade e da capacidade econômica da empresa, segundo o desembargador relator José Marlon de Freitas.

A Vale negou que o motorista estivesse estado na barragem no dia da tragédia, mas uma testemunha confirmou a presença do motorista no local.

O relator entendeu que, além de ter corrido sérios riscos, o trabalhador foi exposto ao soterramento de várias pessoas. 

A empresa não pode mais recorrer.

Fonte: O Tempo

Comentários
COMPATILHAR: