Uma cabeça d’água atingiu o complexo turístico do Paraíso Perdido, em São João Batista do Glória na tarde dessa quinta-feira (6).

Não houve feridos e o parque está fechado para visitação. O proprietário afirmou que em 16 anos que está à frente do parque nunca tinha visto uma correnteza tão forte.

Segundo o proprietário do complexo, Wládis Mendonça, o parque está fechado há seis dias por causa da intensidade das chuvas. Durante o mês de janeiro, o local ficou aberto à visitação por apenas 15 dias pelo mesmo motivo.

“A gente está abrindo quando o tempo abre. Na semana passada nós trabalhamos só no sábado, que teve uma estiagem de chuva na quinta e na sexta. Nós trabalhamos até meio-dia, fechamos e estamos fechado até hoje. A gente lida com o tempo aqui, quem manda aqui é a natureza, então a gente tem que saber decifrá-la e respeitá-la”, disse Mendonça.

Em janeiro, o parque ficou fechado por causa de outra cabeça d´água. No dia 4 de janeiro, a cabeça d´água atingiu o complexo de cachoeiras durante a madrugada e fez com que o volume de água ficasse acima do normal. Por isso, o complexo foi fechado para os visitantes.

Paraíso Perdido

O Paraíso Perdido é um complexo de cachoeiras e piscinas naturais que fica em São João Batista do Glória, aos pés da Serra da Canastra. O local é bastante visitado por turistas da região e do Estado de São Paulo.

Assim como outras cachoeiras da região, o complexo não possui um equipamento que monitore o volume de água que chegue ao complexo. Tudo é na base da observação. O cuidado fica maior nesta época em que as chuvas são mais constantes.

Por isso, se chove na Serra da Canastra, não fica ninguém na cachoeira, até porque a água sobe muito rápido. Para conseguir avistar os turistas, os funcionários mantêm os olhos em direção à nascente do Rio Quebra Anzol, o que ajuda a manter os banhistas em segurança.

 

Fonte: G1 ||
Comentários