Na semana passada, quinta e sexta-feira (19 e 20), foi realizada em Formiga a vacinação contra a raiva em cães e gatos na zona urbana. Nas comunidades rurais, a vacinação teve início nesta segunda-feira (23) e vai até o dia 2 de setembro.
Em nota, a Vigilância Sanitária ressalta que os estados de São Paulo e Rio de Janeiro comunicaram recentemente ao Ministério da Saúde a ocorrência de óbitos de cães e gatos após tomarem a vacina antirrábica. Segundo a médica veterinária e coordenadora do departamento de Vigilância Sanitária, Fernanda Pinheiro Lima, em Formiga nenhum caso de morte foi registrado.
Fernanda Lima informa que o Ministério da Saúde enviou duas notas às Secretarias Municipais informando que a vacinação deve continuar.
A nota técnica 25/2010 informa que ?a vacina utilizada até o ano de 2008 foi a Fuenzalida &Palacios, sendo a mesma substituída pela de cultivo celular, por apresentar maior imunogenicidade e segurança. As vacinas antirrábicas caninas disponibilizadas no Sistema Único de Saúde são registradas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e todas as partidas são cuidadosamente produzidas e submetidas pelo laboratório produtor a todas as provas de controle de acordo com as normas e exigências do MAPA. Além disso, são submetidas às provas oficiais de controle nos laboratórios do referido Ministério? .
A nota ressalta ainda que ?o uso de qualquer agente biológico, poderá causar eventos adversos (SMITH, 1993), ainda que em sua absoluta maioria de leve intensidade. Apesar de todas as precauções, esses eventos podem ocorrer, pois até o momento não há disponível nenhuma vacina capaz de garantir isenção de eventos adversos? .
Esta semana, em razão dos óbitos registrados no Rio e em São Paulo, o Ministério da Saúde enviou outra nota, de número 28/2010, que esclarece que a campanha de vacinação antirrábica animal deve ser mantida em todo o território nacional. ?Não há evidências, até o momento, que os eventos adversos apresentados justifiquem a interrupção da campanha, pois os mesmos estão abaixo do relatado na literatura internacional e do produtor? , diz a nota.
A nota apresenta ainda um alerta, informando que a não vacinação de animais contra a raiva representa um risco para a vida da população, pois podem gerar a ocorrência de casos humanos, que possuem taxa de letalidade próxima de 100%.
A Vigilância Sanitária de Formiga informa que, caso haja reações ou óbitos que tenham suspeita de reação da vacinação, estes devem ser registrados na Secretaria Municipal de Saúde.

COMPATILHAR: