O prefeito de Arcos, Denilson Teixeira, anunciou na noite dessa segunda-feira (17) que o carnaval da cidade foi cancelado. Ele afirmou que o dinheiro que seria usado na festa será investido nos reparos dos estragos causados pelas chuvas.

Na quinta (13), um carro foi arrastado pela enxurrada. Um canal transbordou, inundou diversas casas e um imóvel de dois andares desabou. Na sexta (14), um Decreto de Emergência foi assinado pelo prefeito. A chuva voltou a causar alagamentos na avenida Sanitária, região central de Arcos, no domingo (16).

Denilson Teixeira anunciou o cancelamento por meio das redes sociais. Segundo a Prefeitura, a decisão foi tomada após o levantamento parcial dos custeios de recuperação dos pontos atingidos pela tempestade.

“Devido aos prejuízos causados pela chuva de quinta-feira e a chuva de domingo, declaro que vamos usar o dinheiro do carnaval para reparar os danos causados pela chuva. A gente não estava esperando esta chuva. Declaro nosso carnaval cancelado”, disse.

Chuvas

A avenida Sanitária, no Centro, alagou duas vezes com as chuvas no últimos dias. Na quinta-feira, dois veículos foram arrastados pela enxurrada. Não havia passageiros e ninguém ficou ferido. Um terceiro veículo foi arrastado pela enchente, só que na trincheira da avenida Benedito Valadares. Ninguém se feriu.

A quantidade de chuva em menos de duas horas foi suficiente para transbordar o córrego dos Arcos. Carros foram arrastados pela correnteza e, no desespero, duas pessoas tentaram se proteger em cima de uma casa. A ideia foi do técnico agrícola Wallisson Geraldo, que ajudou a costureira Helena Sebastiana a entrar pelo telhado.

“Não tinha jeito não, era isso ou morrer. Não tinha outro lugar para ir, íamos morrer. Com a correnteza que estava, a força podia levar a gente. Não tivemos outra solução a não ser subir”, contou Helena.

“Enquanto estávamos levantando os móveis, o nível da água subiu muito rápido. Tivemos que pular a janela do quarto. A água batia quase no peito, não tinha como sair. A correnteza estava muito forte. O único acesso que tivemos ideia foi o telhado”, explicou Wallisson.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a água que atingiu algumas casas deixou famílias ilhadas e foi preciso retirar cinco pessoas de imóveis. Os militares ainda disseram que no bairro Brasília uma residência de dois andares desabou. Não havia moradores no momento.

Apesar do alagamento registrado na avenida Sanitária no domingo, os bombeiros informaram que não atenderam nenhuma ocorrência no local. Os chamados na cidade foram para desobstruir um trecho da BR-354 por causa de queda de árvore. Uma vistoria foi realizada no campus da PUC de Arcos, devido a uma infiltração no telhado.

Decreto de emergência

A Prefeitura de Arcos decretou situação de emergência, na sexta-feira. Foram 107 milímetros de chuva em 1h30 de chuva.

“O decreto será encaminhado para o Governo do Estado e o Governo Federal, pleiteando recursos para minimizar e consertar os estragos que a chuva causou ao município. O decreto também propicia contratar serviços com mais facilidade e agilidade, para que as obras sejam feitas o mais rápido possível”, explicou o prefeito.

Foram 26 ocorrências atendidas pelos bombeiros entre quinta e sexta, 27 famílias tiveram que ir para casa de parentes.

 

 

 

Fonte: G1 ||
Comentários
COMPATILHAR: