A expectativa para o Carnaval de Belo Horizonte, em 2016, é de crescimento de público, principalmente nos blocos de rua, que são a principal atração da festa da capital mineira. Em contraponto a esse aumento no número de foliões, houve uma redução no investimento total da festa – entre patrocínio e gastos públicos – e de um valor de R$ 5,5 milhões em 2015, os custos com a festa passaram para R$ 3,372 milhões esse ano.

De acordo com a Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur), os valores gastos pelo poder público permaneceram os mesmos do ano passado e a variação foi devido a uma redução nos patrocínios. No entanto, a presidente da pasta, Claudia Pedrozo garante que foi montado um plano de logística para garantir uma estrutura compatível com o número de pessoas nas ruas, mesmo com a redução nos custos.

Para 2016, a expectativa é de que cerca de 1,6 milhão de pessoas curtam o Carnaval em Belo Horizonte, o que significa um aumento de pelo menos 100 mil pessoas. O mais significativo é o aumento de público dos blocos, que deve pular de 1 milhão para 1,3 milhão de pessoas em 2016. “Percebemos que estamos vivendo um momento de apropriação do espaço público e vemos Belo Horizonte como uma cidade bem resolvida quanto a isso”, afirma a presidente da Belotur, Claudia Pedrozo. Ela acredita que mesmo com um expressivo número de foliões nas ruas, a festa será tranquila e a estrutura pensada será suficiente para essa demanda.

Além dos blocos, o Carnaval oficial da prefeitura prevê a instalação de palcos na Praça da Estação, na Avenida Brasil e um especial para a criançada, no Parque Municipal. Esse ano, não haverá shows ou som na Savassi e a estrutura de barracas e banheiros será montada apenas como um espaço de encontro e de passagem. “A Savassi chegou ao seu limite e acreditamos que é um local que deve ser usado para entre os blocos. As pessoas devem segui-los e por isso haverá essa estrutura para esses momentos de passagem”, explica Cláudia.

Também serão realizados pequenos carnavais em todas as regionais da cidade. A Prefeitura programou uma estrutura de caminhão-palco e espera que as crianças, famílias, idosos e pessoas que não vão para as regiões mais cheias da cidade, também possam curtir a folia. As escola de samba e blocos caricatos mantem a mesma estrutura, com desfile pela avenida Afonso Pena, mas terão um aumento de 25% em sua verba. “Com o crescimento do Carnaval, não podemos deixar de lembrar das escolas de samba e por isso a decisão de dar mais um incentivo a eles”, lembrou a presidente da Belotur.

Foram 200 blocos inscritos para esse ano e a expectativa é de que pelo menos 260 desfiles aconteçam. A programação começa neste fim de semana e vai até a segunda semana de fevereiro. Estrutura de banheiros, segurança e trânsito estão sendo pensadas junto com a Polícia Militar, Guarda Municipal e a Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans).

 

Fonte: O Tempo||http://otempo.com.br/cmlink/hotsites/carnaval-2016/carnaval-de-bh-cresce-em-p%C3%BAblico-mas-perde-r-2-mi-em-investimento-1.1217509

Comentários