Em uma carta obtida pelo Fantástico desse domingo (25), Monique Medeiros disse que mentiu à polícia sobre a morte do filho, Henry Borel, e pediu para prestar um novo depoimento.

Ela também relatou como foram os dias em que Henry foi, segundo a polícia, agredido e morto por Jairinho. A nova versão é diferentedo que Monique disse aos investigadores, 10 dias após a morte de Henry.

Veja algumas diferenças:

Agressões de Jairinho a Henry

Em seu depoimento, Monique afirmou “não acreditar que Jairinho tenha feito qualquer coisa contra seu filho. Que a relação entre eles era boa e ele sempre tentava cativar o amor de Henry”;

Na carta, ela relata um episódio de agressão narrado pelo próprio filho.

“Henry veio correndo até a cozinha uns 15 minutos depois que Jairinho chegou, dizendo que o tio tinha dado uma ‘banda’ nele e uma ‘moca’. Fui até a sala perguntar o que tinha acontecido e Jairinho disse que ele era um ‘bobalhão’, que segurou ele pelos braços brincando e passou a perna, mas que Henry nem caiu, pois ele estava segurando-o, aí Henry disse pra ele que ia contar pra mim e ele deu uma ‘moca’ brincando”.

Medicação

No primeiro depoimento, Monique negou que tivesse tomado remédios para dormir na noite do crime. Ela contou que acordou primeiro quando viu a TV ligada e Jairinho dormindo ao seu lado.

“(Jairinho) Me deu dois medicamentos que ele estava acostumado a me dar, pois dizia que eu dormia melhor, mas eu não o vi tomando. Logo, eu adormeci. (…)

Como Monique encontrou Henry

  • No primeiro depoimento: “Já por volta de 3h30, aproximadamente, Monique acordou, quando viu a TV ligada e Jairo dormindo ao seu lado; Monique, então, acordou Jairo, mexendo em seu braço, para que fossem para o quarto; Jairo, aparentemente, dormia em ‘sono pesado’; Jairo se levantou e foi ao banheiro da suíte de hóspedes, onde estavam; Monique foi para o quarto do casal e lá já se deparou com seu filho caído ao chão; ao colocar seu filho de volta na cama, notou que ele estava com mãos e pés gelados, que não respondia aos seus chamados e que os olhos estavam revirados.”
  • Na carta: “De madrugada ele me acordou, dizendo para eu ir até o quarto, que ele pegou o Henry no chão, o colocou na cama e que meu filho estava respirando mal”. No quarto, ela encontrou o filho de barriga para cima, descoberto e com a boca aberta. Monique afirma que perguntou a Jairinho o que tinha ocorrido. “Ele disse que escutou um barulho que chamou sua atenção e acordou pra ver. Que Henry tinha caído da cama! Então enrolei o Henry numa manta e corremos para a emergência. (…) Mas em nenhum momento eu achava que estava carregando meu filho morto nos braços.”

Fonte: G1

COMPATILHAR: