Duas crianças, uma de 3 e outra de 11 anos, morreram soterradas após um deslizamento de terra que atingiu a casa onde estavam, no bairro Vera Cruz, em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, no domingo (22).
De acordo com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), a grande quantidade de terra atingiu o quarto onde as crianças estavam. Elas morreram no local.
No município, o rio Doce pode transbordar a qualquer momento, segundo a Defesa Civil municipal. O rio está atingindo 2,27 metros de altura e a previsão é de que ele atinja os 2,70 metros até 12h. Com isso, ele pode transbordar e alagar ruas de pelo menos seis bairros, de acordo com o Corpo de Bombeiros da cidade. Nesse domingo, um carro de som alertou a população dos bairros nas proximidades do rio da possibilidade de cheia. A Defesa Civil pede para que as pessoas em áreas de risco deixem suas casas e procurem os abrigos da prefeitura. O contato da Defesa Civil em Governador Valadares é o 199.
A altura máxima do rio Doce registrado foi de 5,18 metros em 1979. Em 1997 chegou a 4,77 metros, 4,15 metros em 2012 e 4,01 metros em 1985.
Outras mortes
Além das duas crianças, um homem de 33 anos morreu nesse fim de semana depois que um deslizamento de uma encosta atingiu parte de uma residência e a vítima, que estava no terreiro entre sua casa e um muro de arrimo, em Ipatinga, na região do Vale do Aço.
Um deslizamento de terra que atingiu parcialmente uma casa na rua Sebastião Alves, na Vila Bias Fortes, em Itanhomi, na região do Vale do Rio Doce, soterrou e matou Maria Benedita da Silva, de 66 anos, na noite desse domingo (22).
Na sexta-feira (20), um deslizamento de terra soterrou e matou um homem de 60 anos, em Timóteo, também na região do Vale do Aço.
Com estas mortes no fim de semana, sobre para 14 o número de óbitos em decorrência das chuvas em Minas neste ano. As mortes começaram em outubro quando um homem de 22 anos foi atingido por uma descarga atmosférica quando trabalhava em uma área rural em Astolfo Dutra, na Zona da Mata. Dois meses depois, após fortes chuvas durante a madrugada, um talude cedeu caindo sobre uma parede de uma residência a qual desmoronou sobre uma adolescente de 12 anos, que morreu, em Caratinga, no Vale do Rio Doce.
Na última terça-feira (17), cinco pessoas foram soterradas e morreram em Sardoá, também no Vale do Rio Doce. Nessa quinta-feira (19), um homem de 30 anos tentou atravessar o córrego Bebedouro, em Francisco Sá, no Norte de Minas, montado em um cavalo, e teria sido surpreendido pela súbita elevação das águas, sendo arrastado pela correnteza.
Situação de emergência
Mais dez municípios decretaram situação de emergência. O total agora é de 23 cidades. São elas: Ataléia, Vargem Alegre, Santos Dumont, Rio Pardo de Minas, Comercinho, Capelinha, Sardoá, Itambacuri, Mantena, Ponto Chique, Bonfinópolis, Mathias Lobato, Santo Antônio do Itambé, São Geraldo do Baixio, Galiléia, Tumiritinga, Jampruca, Ubá, Frei Inocêncio, Padre Paraíso, Timóteo, São Geraldo da Piedade e São João da Manteninha. O prefeito de Aimorés também decretou situação de emergência, mas a Cedec ainda não confirmou.
Até esta segunda, outros 39 municípios mineiros registraram ocorrências devido às chuvas, totalizando 62 cidades mineiras afetadas. Ainda de acordo com o balanço da Defesa Civil, o número de desalojados chega a 563 e desabrigados, 139. Já em relação aos danos materiais, 237 casas foram destruídas, 42 obras em andamento danificadas.
Estrada
Em Governador Valadares, a BR-116, na altura do KM 420, ficou totalmente interditada, devido a queda de barreira, em decorrência das fortes chuvas que atingem a cidade nesta segunda-feira (23), de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). A rodovia já foi liberada.

Comentários