A maior preocupação no estado de Minas Gerais neste Carnaval está em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha. A cidade, conhecida por organizar uma das melhores festas momescas do Brasil, atraindo turistas do mundo inteiro, apresentou aumento no número de ocorrências de crimes violentos no Carnaval do ano passado, comparado com o de 2008.
Há dois anos, foram registrados no município, durante a festa, 250 crimes violentos, como tentativas de homicídios e assaltos à mão armada, entre outros. Em 2009, o número saltou para 358, tornando Diamantina o alvo das forças de segurança pública este ano. ?Diante do aumento dos casos, a cidade recebe, este ano, uma atenção especial?, anunciou o secretário de Estado de Defesa Social (Seds), Maurício Campos, durante a reunião ontem com representantes dos órgãos que participam do esquema de segurança, como a Polícia Militar, Civil, Bombeiros e Polícia Rodoviária Federal (PRF). De acordo com a Polícia Militar, 1.065 militares vão atuar no Carnaval de Diamantina durante 24 horas.
Em todo o estado, preocupa a violência durante esse período do ano. Segundo dados da PM, em 2008 foram 324 mortos e, em 2009, o número passou para 469. Em cidades como Nova Lima, Santa Luzia e Sabará, na Grande BH, assim como em Ouro Preto e Mariana, na Região Central, serão ao todo 3 mil homens. Em Belo Horizonte, para as festas carnavalescas do Minas Ao Luar, os desfiles das escolas de samba na Via 240, na Região Norte, e o Carnaval na Mantiqueira, em Venda Nova, serão 1.240 policiais. ?A operação para este feriado começa no dia 11 e vai até o dia 17. Contaremos com 9 mil viaturas, quatro helicópteros e um avião. Além disso, para as principais rodovias teremos 126 etilômetros e 18 radares?, contou o capitão Gedir Rocha.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, será mantida a parceria com a PRF, que começou no ano passado. ?Conseguimos reduzir o tempo de socorro às vítimas de acidentes?, comemora o major Edgar Estevo da Silva, chefe da seção de Planejamento Operacional dos Bombeiros.

Segundo ele, a média de acidentes automotivos no Carnaval é de dois para cada 100 mil veículos. ?Estaremos em 81 pontos de rodovias e, destes, 35 são em parceria com a PRF.? Outra preocupação é com os afogamentos. ?Minas tem milhares de balneários. A média diária de afogamentos é de 1,3, mas no feriado chega a 4,4. Por isso, estaremos com 46 equipes em balneários, 55 equipes em eventos, contaremos com duas aeronaves e 574 viaturas. Serão ao todo 3.294 militares empenhados?, ressalta.
A BR-381, conhecida como a Rodovia da Morte, é um dos principais pontos de reforço. A Operação Carnaval da PRF começa no dia 12, às 12h, e só termina às 16h do dia 17. O reforço da BR-381 é até o trecho de João Monlevade. De acordo com o inspetor da PRF Aristídes Júnior, serão entre 900 e 950 militares em operação nas estradas federais que cortam Minas. ?A estimativa é de que 500 mil veículos passem pela Grande BH. Teremos 135 bafômetros, 150 viaturas e 36 radares. Esperamos que este feriado não seja tão trágico?, ressaltou.

De acordo com a Polícia Civil, durante o Carnaval haverá plantão no Detran e Instituto Médico Legal. As estatísticas mostram que os crimes contra o patrimônio, como furtos em residências, são os mais recorrentes nesta época.
Preservativos

A Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte vai distribuir 1 milhão de preservativos ao longo deste mês, nos eventos carnavalescos e nos centros de saúde da capital. O número é o dobro do total entregue no ano passado, durante a campanha contra as doenças sexualmente transmissíveis. No último sábado, 30 mil preservativos foram distribuídos aos foliões da Banda Mole. Além das camisinhas, foi fornecido ao público um leque com informações das formas de transmissão das doenças, como não ser contagiado e como usar o preservativo.

COMPATILHAR: