Redação UN

A apuração dos votos da eleição desse domingo (15) mostrou que nem os mais experientes analistas políticos podem prever o que se passa na cabeça do eleitor.

Nomes antes sugeridos como “primeiros da fila” ficaram de fora, dando lugar a nomes desconhecidos por boa parte da população, mas que souberam construir suas candidaturas em redutos na zona rural e em alguns bairros.

O resultado apontou uma renovação de 50% na Câmara de Formiga a partir de 2021. Trazendo de volta para o Legislativo nomes conhecidos como Juarez Carvalho e Cid Côrrea, e novidades como Luiz Carlos Tocão, Luciano do Gás e Tião do Preto.

Um dos nomes que ficaram de fora e que mais surpreendeu foi o de Wilse Marques, a vereadora mais votada em 2016 com 2577 votos, dessa vez recebeu 566 votos e ficou na suplência.

Ocupante do posto de líder do governo Eugênio Vilela por quase dois anos, o atual presidente do Legislativo Mauro César também não conseguiu manter sua cadeira. Em 2016, ele recebeu 1.077 votos e dessa vez, contou com o apoio de 672 cidadãos.

A não reeleição do ocupante da presidência da mesa tem se tornado tradição em Formiga.

Ficaram de fora ainda, Sandrinho da Looping que recebeu neste ano 631 votos (em 2016 foram 1.175 votos), Sidney Ferreira que dessa vez recebeu o apoio de 493 eleitores ( em 2016 foram 1.491 votos) e Evandro Donizeth Piruca, que recebeu 1017 votos neste ano, superando os 826 recebidos em 2016, ficando de fora devido ao coeficiente eleitoral.

De todos os que não se reelegeram, apenas Sandrinho ficou de fora até mesmo para a suplência.

Retomam suas cadeiras: Cabo Cunha, Joice Alvarenga, Marcelo Fernandes, Flávio Martins e Flávio Couto.
O atual subsídio (salário) bruto para o cargo de vereador em Formiga é de R$6.491,28.

Comentários
COMPATILHAR: