Se a reestreia pelo Cruzeiro foi apagada, a segunda partida reservou o primeiro momento de glória de Rafael Sóbis neste retorno à Toca. O gol marcado aos 32 minutos do segundo tempo, fruto de uma falta cobrada com a classe e a categoria que sempre fizeram parte do repertório do experiente atacante, consolidou uma merecidíssima vitória da Raposa sobre a líder da Série B do Brasileiro, a Chapecoense, na Arena Condá, na noite desta terça-feira (24).

E o próprio avante celeste, que um dia disse que “tem time que comemora jogo, e time que comemora título”, há de concordar que esta partida pode ser celebrada praticamente como se tivesse conquistado uma taça de campeão. Isso porque fez o time mineiro chegar a 28 pontos, se afastando cada vez mais da zona da degola, aumentou para nove confrontos consecutivos a invencibilidade do clube e, claro, reascendeu a chance de acesso aos azuis, por mais que o discurso de Felipão seja de luta contra o descenso. O Juventude, quarto colocado, tem 37 pontos, nove a mais que a equipe estrelada.

Domínio celeste

No primeiro tempo, o Cruzeiro já mostrava sua superioridade, com sete finalizações, enquanto a Chape deu apenas dois arremates. Mesmo assim, o empate em branco imperou até a saída do intervalo. O lance mais importante, no entanto, envolveu Anselmo Ramon, que deixou o braço no rosto do zagueiro Ramon e recebeu apenas o cartão amarelo, para protesto dos visitantes, que queriam o vermelho para o centroavante alviverde.

O domínio cruzeirense se manteve na segunda etapa, e o gol de Sóbis fez valer uma partida de alto nível da Raposa.

Em busca de seu sonho, o time mineiro tenta emplacar mais uma vitória na sexta-feira (27), às 21h30, quando receberá o Confiança, no Mineirão.

Matéria do Hoje em Dia

Comentários