O Congresso Nacional instalou nesta quarta-feira (28) a Comissão Permanente de Mudanças Climáticas.

A instalação da comissão foi anunciada na semana passada pelo presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP). Segundo ele, os parlamentares estão preocupados com as queimadas na Amazônia, e o Congresso precisa analisar o tema com “atenção diferenciada”.

A comissão é mista, ou seja, formada por deputados e senadores. Após a instalação, o senador Zequinha Marinho (PSC-PA) foi eleito presidente. A relatoria ficou com o deputado Edilázio Junior (PSD-MA).

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), os focos de queimada na Amazônia já superaram a média histórica de agosto.
Além disso, segundo a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), 2019 já é o pior ano de queimadas na Amazônia brasileira desde 2010.

Comissão sobre Mudanças Climáticas

A Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas (CMMC) foi criada em 2008 com o objetivo de acompanhar, monitorar e fiscalizar, de modo contínuo, as ações referentes às mudanças climáticas no Brasil.

No entanto, a comissão estava inativa desde o ano passado. Isso porque a última reunião foi em 19 de dezembro de 2018.

A composição prevista para a comissão é de 12 senadores e 12 deputados titulares e igual número de suplentes. Cabe aos líderes partidários fazer a indicação dos integrantes.

 

Fonte: G1 ||
Comentários
COMPATILHAR: