O setor de construção civil vem se destacando por ser responsável pela maior geração de empregos em Formiga. No mês de março, 350 trabalhadores foram contratados para atuar nesse ramo. Em segundo lugar, está a área de indústria de transformação, com 222 admissões e, em terceiro, o setor de serviços, com 210 contratações. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).
Durante o mês de março, 1.083 trabalhadores tiveram a carteira assinada e houve 907 desligamentos do emprego formal. O saldo positivo de empregos gerados foi de 176, com variação de 1,15%.
O número de 350 empregados no ramo da construção civil, no mês passado, teve uma variação positiva de 34,01% em comparação com o mesmo período de 2010, uma vez que o mesmo setor recebeu, no ano anterior, 261 trabalhadores.
De janeiro a março deste ano, houve 3.268 admissões e 2.575 desligamentos, tendo um saldo positivo de 693 contratações, com variação de 4,67%, segundo dados do Caged.
O Sistema Nacional de Emprego de Formiga (Sine) disponibiliza praticamente toda semana uma lista de oportunidades em diferentes setores, como na construção civil, restaurantes e similares, entregas e cobranças, administrativo, vendas, confecção e áreas diversas, que incluem vagas para mecânicos, motoristas, dentre outras.
Confirmando os dados divulgados pelo Caged sobre o alto índice de vagas para o ramo da construção civil no município, o Sine disponibilizou, somente nesta semana, oportunidades para 82 pedreiros, 120 serventes, 52 carpinteiros e 50 armadores. Há ainda uma vaga para engenheiro civil, com salário de R$7.000, a ser preenchida desde fevereiro deste ano. O cargo exige idade entre 24 e 50 anos, com experiência de dois anos, para trabalhar em Itabirito.
Segundo o coordenador do Sine, Elton da Costa, as vagas mais difíceis de serem preenchidas são as de vendedor, eletricista, mecânico, serralheiro, carpinteiro e garçom. Por outro lado, as vagas para os cargos de secretário(a) e auxiliar administrativo são preenchidas rapidamente.
Elton da Costa explicou que muitas pessoas não se adaptam ao horário de expediente estabelecido por algumas empresas como em supermercados, por exemplo. Além disso, o número de trabalhadores qualificados é pequeno, principalmente no setor de construção civil, já que a maioria das pessoas empregadas atua na área há muito tempo e não existe procura por parte dos jovens pelas profissões braçais, como de pedreiro, servente, pintor e carpinteiro.
No ano passado, o Sine, em parceria com o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), realizou um curso de qualificação para servente de pedreiro e para auxiliar administrativo, no qual 90 estudantes se formaram. O Centro Vocacional Tecnológico (CVT) também promove diversos cursos profissionalizantes na cidade.
Apesar disso, um motivo conflitante sobre a inserção de novos profissionais no ramo da construção civil é o fato de que o ofício é passado de pai para filho. Segundo Elton da Costa, a escassez nessa área pode ser considerada até uma questão sociológica, porque, geralmente, os pais não querem que seus filhos sigam a profissão, preferindo que eles estudem e tenham ensino superior para garantir um futuro melhor.
Experiências profissionais
O pintor Salviano Batista Neves, há 24 anos na profissão, contou que não falta trabalho na área e que já tem serviços agendados até o mês de setembro. Segundo ele, a oferta de empregos é menor nos dois primeiros meses do ano devido ao pagamento de impostos e por causa do período de chuvas. Porém, mesmo assim, o mercado da construção civil é bastante atuante com muitas oportunidades.
Salviano Batista confirmou que uma das causas da falta de demanda na área se deve ao fato de que os filhos não querem dar continuidade à profissão dos pais: ?Os novos não querem seguir os mais velhos?, disse. Há também pouco estímulo por parte de órgãos públicos na realização de cursos de qualificação.
De acordo com ele, existe um grupo de 47 pintores associados à empresa Casa 2000 – Comércio de Tintas e Materiais para Pintura, que promove palestras em Formiga e patrocina cursos de especialização para os trabalhadores em fábricas de tinta localizadas em Mauá, São Paulo. Além disso, a empresa paga seguro de vida. Em troca, os pintores indicam clientes para a loja.
O encarregado de obra Eli de Souza está há 35 anos na profissão. Atualmente, ele está trabalhando na construção de uma casa que já dura 10 meses. Na obra, trabalham diariamente 4 pessoas, entre pedreiros e serventes. Mas, ao todo, 15 pessoas entre pintores, carpinteiros, eletricistas e gesseiro trabalham de forma rotatória na construção.
Segundo o encarregado, nos últimos três anos, o número de vagas na área aumentou consideravelmente. Eli de Souza atribui o crescimento da oferta de emprego aos programas do governo federal de financiamento da casa própria, por meio da Caixa Econômica Federal. ?De dez casas onde trabalhei, seis foram financiadas?, ressaltou. A procura pelos serviços como pedreiro é tão grande, que existe fila de espera. ?Acabo um trabalho e já começo outro?, contou. Ele lamenta a falta de interesse pela profissão por parte dos jovens: ?Se o pessoal não aprender, vai parar de construir?. Ele aprendeu o ofício aos 14 anos, com o cunhado. Na família dele, irmão e primo trabalham como pedreiros.
Expectativas na geração de empregos
Vários projetos de doação de imóveis para empresas foram aprovados pelo Conselho Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Codecon) e, posteriormente, pela Câmara Municipal de Formiga. Grande parte dos imóveis está localizada na região do Distrito Industrial José Luis Andrade. Segundo o chefe do Setor de Indústria e Comércio da Prefeitura, Carlyle Garcia Ribeiro, quando as obras nos locais doados estiverem prontas, a estimativa é de que sejam gerados de 300 a 500 empregos.
Outra oportunidade para trabalhadores da construção civil está no serviço de recapeamento da BR-354. Segundo Carlyle Garcia, a Construtora Barbosa Mello, vencedora do processo licitatório para a realização da obra, solicitou ao Sine de Formiga a contratação de 200 pessoas para o trabalho de recuperação da rodovia. A reparação nas estradas inclui o Km 495,8 até o Km 559. O contrato entre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e a empresa foi assinado no final de 2010.
Em fevereiro, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, José Jamir, recebeu a visita do assistente do Departamento Pessoal da Construtora Barbosa Mello, José Ivaldo, que, na ocasião, anunciou a oferta de pelo menos 450 vagas de empregos diretos em Formiga.
Já na área de turismo, existe a expectativa de Formiga ser escolhida como Centro de Treinamento de Seleção (CTS) da Copa do Mundo de 2014. Caso isso aconteça, poderá gerar pelo menos 150 empregos no município, conforme informou o coordenador do Setor de Turismo, Eduardo Batista. ?Se Formiga for incluída nas intenções da Fifa, a cidade poderá ganhar UTI, hospitais e investimentos para clubes de futebol?, explicou.
Formiga é um dos municípios mineiros candidatos a Centro de Treinamento. Desde que a Federação Internacional de Futebol (Fifa) anunciou que o Brasil seria a sede da Copa do Mundo de 2014, a administração municipal vem se reunindo e estudando a possibilidade de o município se candidatar a uma das sedes de apoio (base camp) da Copa.
O empresário e proprietário do Furnas Park Hotel, Paulo Alves, já oficializou a candidatura de seu empreendimento para receber um dos grupos de hóspedes da Fifa. Neste caso, o hotel ficaria exclusivamente para o uso de determinado grupo por 60 dias (15 dias antes, 15 dias depois e 30 dias durante o evento). Enquanto isso, o prefeito Aluísio Veloso/PT e equipe trabalham na busca por apoio e também em materiais para divulgar o potencial do município.
Sine
Somente esta semana, foram divulgadas 641vagas de emprego no Sine, em diferentes áreas.
Os interessados nas vagas de emprego devem comparecer à sede do Sine, localizada à rua Coronel José Gonçalves D? Amarante, 240, no imóvel onde era o Conselho Tutelar.
Os candidatos às vagas ofertadas devem levar carteira de trabalho, Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e Carteira de Identidade, para que seja realizado o cadastro e, posteriormente, serão encaminhados aos cargos pleiteados. Mais informações pelo telefone (37) 3322-4222.

Formiguenses não terão festa do Dia do Trabalhador
Quem quiser se divertir e aproveitar o Dia do Trabalhador, neste domingo (1º de maio), terá que viajar para cidades vizinhas ou encontrar outras opções de entretenimento. Isso porque a administração municipal não fará qualquer evento em praça pública em comemoração à data.
A secretária de Cultura, Maria Andrada, justifica a ausência de eventos na cidade devido aos ?shows de grande porte? que acontecerão em municípios vizinhos, como em Arcos. ?A gente sabe que a cidade inteira vai para lá [cidades onde se comemoram o Dia do Trabalhador]. Não que a gente queira que vá, mas quando nós fazemos a nossa exposição agropecuária aqui em Formiga, não é feito outro evento em outra parte, em outros municípios. Em Arcos, Piumhi e Pains vem todo mundo para cá. Então, é o mesmo caso, as cidades próximas, em relação a eventos, respeitam o grande evento das outras para ter um público grande, por essa razão, a gente não irá fazer um evento em praça pública?, explicou
Outro motivo alegado pela secretária é que a Prefeitura está com arrecadação financeira muito pequena, bem menor do que nos outros anos e, por isso, está havendo restrições na realização de eventos maiores. Haverá somente comemorações à data para os servidores da administração municipal em cada secretaria. ?Evento para a população em geral nem faz sentido, porque a população não vai estar aqui. A gente vai dar um ?presente? para uma pessoa que não vai receber? Duvido que alguém fique aqui, se tiver um show inferior aos que são oferecidos nas cidades vizinhas. Ou a gente faz um show do mesmo porte, para disputar público, o que é até certa indelicadeza. A Prefeitura respeita tanto, [os trabalhadores formiguenses] que como ela sabe que lida com dinheiro público, ela não vai desperdiçar o dinheiro público com uma coisa que não vai ter público. Pela nossa seriedade e responsabilidade em relação a isso é que não vai ser feito nenhum evento. Vai custar muito caro para pouco público, para um retorno que não vai ser o esperado. Não faz sentido dispensar esse dinheiro todo num momento como esse. Mas existe um respeito muito grande pelos trabalhadores da cidade, independente de serem servidores públicos ou não?, alegou.
Questionada sobre as pessoas que não podem viajar para municípios vizinhos para festejar o Dia do Trabalhador, por questões financeiras ou por não possuírem carro, Maria Andrada respondeu: ?Se a gente for comemorar todas as datas, se a gente for se preocupar com as pessoas que não têm condições de fazer determinadas coisas, a gente vai ter que fazer evento o tempo todo. Se existem inúmeras possibilidades de evento o ano todo, o dinheiro tem que ser otimizado para não ser gasto à toa, a gente tem que priorizar festas que têm alcance maior, então é melhor fazer uma festa de portão aberto para a cidade toda ir do que fazer uma festa para uma meia dúzia?, justificou.
A secretária de Cultura também informou que estão sendo realizadas reuniões para a organização de eventos para comemorar o aniversário da cidade, no dia 6 de junho. Segundo ela, é necessário planejar, em conjunto, as festividades com representantes da Exposição Agropecuária de Formiga, uma vez que as festas acontecem no início de junho. ?Temos algumas ideias que estão sendo trabalhadas, serão bem bacanas?, comentou.
Nem tudo está perdido
Para aqueles que querem curtir o Dia do Trabalhador em Formiga, lugar onde se despende energia durante toda a semana de trabalho, haverá um Encontro de Artistas Sertanejos de Formiga, que será realizado no Centro de Convivência do Idoso (antigo Matadouro), localizado à avenida 1º de Maio, no bairro Alvorada. O evento é uma iniciativa independente da Prefeitura e terá início às 12h, com horário previsto para terminar às 18h.
Os artistas amadores ou profissionais que quiserem se apresentar devem comparecer ao local a partir das 12h ou entrar em contato com o organizador do evento Nivaldo, pelo telefone (37) 9948-2457. A entrada é gratuita.
Cidade vizinha
Em Arcos, no domingo (1º de maio), o Serviço Social do Transporte (Sest) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat) realizarão palestras sobre orientação profissional e saúde do trabalhador para a população. Haverá uma prova de corrida rústica, parceria da Prefeitura de Arcos com um supermercado local. Ainda terá distribuição de pipoca, algodão doce, brindes variados e camas elásticas serão dispostas para as crianças brincarem. Até o palhaço Rachid, de Formiga, participará do evento comemorativo aos trabalhadores na cidade de Arcos. Para encerrar a festa, a banda Freasa animará os populares.
Nostalgia
No ano passado, o Dia do Trabalhador contou com a realização de diversos eventos na cidade, inclusive em parceria com o Sest/Senat, com tarde de esporte e rua de lazer, gerenciada pelo Departamento de Esportes da Prefeitura de Formiga. Em parceria com entidades e associações do município, houve orientação à saúde do trabalhador, com aferição da pressão arterial, exame de glicose, entre outros serviços. A Orquestra Dance Brasil e Tiago Di Melo agitaram o 1º de maio. Neste ano, essas festividades serão na cidade vizinha.

Comentários