Um menino de apenas três anos, morador da cidade de Pará de Minas, teve contato com uma lagarta da espécie Lonomia, popularmente conhecida como taturana e precisou ser hospitalizado às pressas.

Familiares levaram a lagarta dentro de um saco plástico para facilitar o diagnóstico.

A equipe que fez o primeiro atendimento em Pará de Minas entrou em contato com o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, que sugeriu a transferência da criança para a instituição.

A transferência foi realizada no final da tarde com o apoio do Samu de Pará de Minas que levou o paciente da UPA até o Hospital.

Especialistas alertam para os riscos de envenenamento pela taturana, que pode levar à morte e hemorragias graves.

 

Fonte: Informações: Samu Centro-oeste||

Comentários
COMPATILHAR: