Pela 22ª vez na história, os dois maiores clubes de Minas Gerais decidirão o título do Campeonato Mineiro.   Após vitórias sobre o Tupi (2×1) e América (2×0) respectivamente, nos confrontos de volta pelas semifinais, Cruzeiro e Atlético disputarão o troféu nos dois próximos domingos (dia 1° e 8 de abril).

 

Por ter feito uma melhor campanha na fase de classificação, o time celeste tem as vantagens. Vai fazer o segundo jogo como mandante, portanto no Mineirão, e ainda joga por dois empates ou por derrota e vitória pela mesma diferença de gols. Assim como foi contra o América, o Atlético entra precisando vencer para conquistar o título.

 

 

Apesar de estar em sua 104ª edição, o Campeonato Mineiro só foi decidido 21 vezes pelos gigantes porque, em muitas temporadas, a fórmula do Estadual não previa a final direta entre duas equipes, com sistemas de pontos corridos ou quadrangulares finais, entre outros formatos.

Nas 21 ocasiões em que os dois gigantes fizeram a decisão direta do Estadual, a Raposa saiu vitoriosa mais vezes. Foram 12 títulos celestes (1940, 1967, 1972, 1977, 1987, 1990, 1998, 2004, 2008, 2009, 2011 e 2014) contra oito alvinegros (1954, 1962, 1976, 1985, 2000, 2007, 2013 e 2017). Na edição de 1956, o troféu foi declarado dividido entre as duas equipes.

Classificação celeste

Os jogadores da Raposa reconheceram que o Galo Carijó não vendeu barato a classificação para final do Mineiro (Foto: Alex de Jesus/O Tempo)

Os 48 mil cruzeirenses que foram ao Mineirão nesse domingo (25) viram o Tupi oferecer resistência ao Cruzeiro nos primeiros minutos do jogo. Os jogadores da Raposa reconheceram que o Galo Carijó não vendeu barato a classificação para  final do Mineiro. “Tem dia que não dá para jogar de forma brilhante, não dá para golear. O importante era a classificação”, disse Rafinha.

Autor dos dois gols da partida, Thiago Neves reconheceu os méritos do Tupi. “Poderia ter feito três gols hoje, mas o importante é a classificação. Todo mundo quando vem aqui dá trabalho, porque fica mais fechado. A gente começou o jogo mal e isso foi dando confiança para o Tupi”, avaliou.

Lucas Romero admitiu que errou, mas afirma que o principal objetivo foi conquistado: a classificação. “O Cruzeiro fez um grande jogo, mas eu, em particular estou um pouco chateado porque errei muito. Jogando de volante ou lateral, tenho que dar meu melhor”.

Substituto de Fábio, o goleiro Rafael também valorizou a classificação, tendo em vista a resistência oferecida pelo Tupi. “Pode ser que não tenha sido nossa melhor partida, mas conquistamos o objetivo que era estar na final”, afirmou.

Classificação alvinegra

Equatoriano Cazares entrou no segundo tempo e marcou o gol da vitória no primeiro clássico da semifinal (Douglas Magno/O Tempo)

 A festa da torcida do Atlético pelos 110 anos de fundação do clube começou na noite de sábado (24), com vigília na sede administrativa e contagem regressiva, e seguiu nesse domingo (25), no Independência. Com gols de Fábio Santos e Elias o Galo venceu o América, por 2 a 0, pela semifinal do Campeonato Mineiro. Com o placar agregado de 3 a 0 o Atlético se garante na final do Estadual pela 12ª vez consecutiva.

 

Fonte: Com portais de notícias ||

Comentários
COMPATILHAR: