Depois do Atlético firmar parceria com a concessionária BWA no âmbito comercial do estádio Independência, o Cruzeiro assinou um contrato de 25 anos com a Minas Arena, consórcio que vai gerir o Mineirão neste período. A assinatura do contrato ocorreu na manhã da última quarta-feira, na nova esplanada do estádio. As principais vantagens para o Cruzeiro, além da renda de bilheteria, será o lucro comercial com bares e estacionamento. Além disso, o Cruzeiro, pela fidelização de utilização do estádio, terá no Gigante da Pampulha um memorial, um bar temático e uma loja oficial.
Moldes diferentes
A parceria com o Mineirão feita pelo Cruzeiro é diferente da que o Atlético tem com o Independência. No estádio do Horto, o Galo é parceiro comercial da BWA e responde por 45% dos lucros e gastos do estádio. No Mineirão, o Cruzeiro não arcará com custos e será o ?dono do estádio? em seus jogos.
Moldes parecidos
Caso o Atlético queira fazer parceria parecida com o Mineirão, o caminho está aberto. Mas com algumas ressalvas. Como o Galo tem contrato de 10 anos com a BWA, o time é obrigado a jogar a maior parte dos seus jogos no Independência. Caso contrário, precisa pagar uma multa estipulada em contrato. Como o número de jogos do Galo na Pampulha será menor que o do rival, instrumentos como bar temático, memorial e loja oficial (como tem o Cruzeiro) não devem fazer parte do acordo.
Otimização
O Mineirão, que será entregue dia 21 de dezembro, é um novo espaço que está sendo trabalhado para receber ao menos 20 mil pessoas em dias de jogos. De acordo com Ricardo Barra, presidente da Minas Arena, serão oferecidos atrativos e ações voltadas para a família. ?Não temos detalhes definidos, mas temos interesse de criar programas de incentivo à frequência de famílias. O clube tem o sócio-torcedor dele que tem questões pontuais para cativar o torcedor. A Minas Arena também pensa em programas que possam incentivar a vinda do público, especialmente das famílias. Na Alemanha, depois da Copa de 2006, houve um acréscimo de 40% de público nos estádios. Esperamos também um aumento significativo da presença de torcedores. Esperamos não ter público menor de 20 mil pessoas no Mineirão. É arrojado, mas é possível, basta cada um fazer sua parte. O presidente cuida do clube para ser vencedor e eu cuido do estádio. O contrato celebra isso, essa matriz de responsabilidade?, comentou Barra.

Comentários
COMPATILHAR: