A Petrobras confirmou ontem uma descoberta na área do pré-sal na Bacia de Santos. A expectativa de comunicado ao mercado já vinha elevando as ações da estatal e de suas sócias nos últimos dois dias.
A descoberta está na área chamada de Bem-Te-Vi. A área é operada pela Petrobras (66%) em parceria com a Shell (20%) e a Galp Energia (14%). Análises preliminares indicam que a densidade do petróleo está entre 25º e 28º API (medida internacional de qualidade do óleo), comparável à de outras descobertas do pré-sal da Bacia de Santos, como Tupi. Quando mais próximo a 50 graus, mais leve e valorizado é o petróleo.
A Petrobras não divulgou o volume potencial existente na área. Segundo a estatal, o consórcio prepara o Plano de Avaliação de Descoberta a ser encaminhado à Agência Nacional do Petróleo (ANP). O poço, localizado a cerca de 250 quilômetros da costa do Estado de São Paulo, em águas onde a profundidade é de 2.139 metros, teve a perfuração concluída no dia 18, na profundidade de 6.773 metros.
Entre analistas, o bloco é considerado o de menor potencial de reservas entre os quatro da área chamada de Pão-de-Açúcar, na camada pré-sal na Bacia de Santos. A área de Pão-de-Açúcar está a oeste de Tupi, onde a Petrobras anunciou ter encontrado reservas que vão de 5 bilhões a 8 bilhões de barris.
A acumulação de Pão-de-Açúcar, por sua vez, teria mais de 30 bilhões de barris de óleo leve, estimam especialistas. A descoberta já vinha sendo aguardada pelo mercado, desde que o presidente da Galp anunciou na terça-feira, em Portugal, que os resultados da perfuração seriam divulgados em breve. As ações da companhia portuguesa Galp Energia e da Shell subiram em torno de 5% em seus mercados locais (Lisboa e Londres).
Já a Petrobras subiu anteontem 1,63%, depois de ter ultrapassado 5% na terça e 3,5% ontem. Com mais esta descoberta, o Brasil deve entrar de vez na lista dos maiores produtos de petróleo do mundo.

Comentários
COMPATILHAR: