A crise é comum, mas as situações são diferentes, pois o Cruzeiro ocupa a zona de rebaixamento e tem 61,9% de chances de cair para a Série B. O Atlético tem apenas 3,9% de probabilidade de queda, mas para o seu objetivo maior neste Brasileirão, que é buscar uma vaga na Libertadores, aparece com 6,5%.

Com base nesses números, que são do site Probabilidades no Futebol, mantido pelo Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), pode-se afirmar que o Cruzeiro tem seis vezes mais chances de evitar o rebaixamento que o Atlético de conquistar uma vaga no G-6.

A comparação mostra com clareza como o Atlético complicou sua briga pela vaga na Libertadores. Mas não permite comemoração cruzeirense. Muito pelo contrário, pois os 38,1% de chances de não ser rebaixado que o time de Abel Braga têm são alarmantes.

“Nas probabilidades matemáticas, o referencial são os 50%. É o cara ou coroa. Quando é acima dessa marca, as chances de ocorrer são maiores que de não ocorrer”, explica Gilcione Nonato da Costa, um dos responsáveis pelo site Probabilidades no Futebol.

Desempenho
Atlético e Cruzeiro vivem situação complicada no Brasileirão principalmente pelo péssimo desempenho nas últimas dez rodadas, sendo este o melhor termômetro para o momento de um clube numa competição por pontos corridos, como é o caso da Série A.

Numa classificação considerando-se os últimos 30 pontos disputados, Galo e Raposa ocupam a zona de rebaixamento, pois conquistaram apenas nove, mesmo número do Ceará. Os três só foram melhores que a lanterna Chapecoense, que fez seis.

Arte: Hoje em Dia



Outro ponto comum entre eles é o aproveitamento ruim como mandante, sendo o cruzeirense um indício perigoso, segundo Gilcione Nonato da Costa, do site Probabilidades no Futebol.

“Uma característica dos times que caem nos pontos corridos é o baixo desempenho como mandante. O Cruzeiro não consegue fazer valer o fator campo. Isso é muito preocupante”, avalia o professor da UFMG.

Marcas
Pelos cálculos da UFMG, o Atlético, para chegar à Copa Libertadores do ano que vem, precisa somar quase o mesmo número de pontos que tem na competição. A diferença é que o Galo chegou aos 30 em 22 rodadas, mas agora faltam apenas 16.

A situação cruzeirense é preocupante, mas amenizada pelo baixo nível na briga contra o rebaixamento. A pontuação do Fluminense, que é o primeiro clube fora do Z-4, projetado para 38 rodadas dá exatamente 38 pontos.

“Claro que vai depender do desempenho de CSA, Chapecoense, Avaí, Cruzeiro, Fluminense, Ceará e Fortaleza, mas se eles mantiverem o fraco rendimento que apresentam até agora, será muito difícil um clube cair passando dos 40 pontos. Isso é a tendência”, revela Gilcione.

No ano passado, 41 pontos já foram suficientes para uma equipe evitar a queda à Série B do Campeonato Brasileiro.

Arte: Hoje em Dia

 

Fonte: Hoje em Dia ||
Comentários
COMPATILHAR: