O diretor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), Paulo Quintiliano, fez uso da ?Tribuna do Povo? na Câmara Municipal, na reunião de segunda-feira (17), para falar da falta de água em alguns bairros e sobre a canalização do esgoto, realizada na rua Paulo de Brito, no Quinzinho.
Segundo informou o diretor da autarquia, essa obra é a segunda etapa da retirada de esgoto de córregos e rios de Formiga. ?Ela foi iniciada em meados de 2007/2008. Foi uma obra feita em quatro quilômetros e meio de interceptores. Nesta segunda etapa são 20 quilômetros de interceptores nos Rios Formiga e Mata Cavalo e alguns córregos na cidade?.
A empresa responsável pela obra é a Soenge Construtora Ltda. A obra está concluída em quase 50%. Desse quantitativo, cerca de 40% do valor já foi pago, segundo Paulo Quintiliano. ?É uma obra importante para o município. Ela estará concluída quando for construída a estação de tratamento de esgoto. Obra que já esta sendo pleiteada junto ao Governo Federal, a primeira foi de R$ 2,5 milhões a segunda em torno de R$10 milhões e a estação de tratamento ficará também em torno de R$10 milhões. É uma obra grande, o final dela deve gerar em torno de 30 quilômetros de extensão e em torno de R$30 milhões. Os dois financiamentos foram por meio do Projeto Soma. Hoje está fazendo um ano que a obra esta em andamento, o final é para o ano que vem. Se a obra de estação tratamento for iniciada ano que vem, ela será finalizada no final de 2013?.
Questionado, o diretor do Saae explicou que quando uma obra tem que ser refeita, o custo é da empresa responsável, neste caso da Soenge.
De acordo com Paulo Quintiliano, 95% do esgoto já está sendo canalizado, caindo no interceptor, porém, como ainda não tem estação de tratamento, não é possível tratar o esgoto.
O diretor do Saae falou ainda das dificuldades que o Saae enfrenta, como o trânsito na cidade, calçamentos das vias, o período de chuvas e mão de obra não qualificada.
Adutora
Em relação à rede da Adutora de Água Bruta, Paulo Quintiliano ressaltou que, a qualquer momento, 50% dela ?vai para o brejo?. ?Se conseguirmos mesmo a verba de R$550 mil [da deputada Jô Moraes] vamos colocar a verba para essa obra e o dinheiro que o Saae reservou para a estação de esgoto. Vamos tentar refazer de 200 a 500 metros até o ano que vem. Para este ano, ainda não temos a verba. Estamos fazendo uma economia na autarquia?.
Hidrômetros
Sobre a colocação de hidrômetros no município, o diretor da autarquia disse que está esperando fazer uma licitação, para que no próximo ano sejam colocados cerca de 5 mil hidrômetros. ?Hoje falta aproximadamente 7.800 hidrômetros. Tive que parar de colocar hidrometração para poder sobrar dinheiro para recuperar a barragem de capacitação de água. Vou tentar colocar com recursos próprios 800 hidrômetros, 5 mil com recursos próprios, porém, empreitando, e os outros 2 mil, eu disse para o Ministério das Cidades que no ano quem vem, eu estaria com 95% da população com hidrômetros?, explicou.
Segundo Paulo Quintiliano, a Prefeitura não pode passar recursos para o Saae. ?Essas obras que são financiadas, são por meio do Governo Federal ou da Caixa Econômica, porém, a autarquia não pode fazer empréstimo, isso tem que ser com a Prefeitura. Não existe participação direta do Saae com financiamentos, nem com convênios. Hoje, temos a colocação de hidrômetro, adutora, barragem e canalização. Eu economizei algum dinheiro para fazer a barragem. É o que nos queremos para o ano que vem?.
De acordo com o diretor do Saae, o problema na distribuição de água está na infraestrutura do município, pois a população cresceu muito e a demanda hoje é bem maior que antigamente.
Falta de água em comunidade rural
Outro assunto discutido na reunião foi a falta de água na comunidade rural de Papagaio, que sofre com o problema há mais de 30 dias. Moradores estiveram no plenário com um abaixo-assinado em mãos para pedirem providências, solicitando que a Prefeitura construa um posto artesiano no local, atendendo também a comunidade de Segredo.
O diretor do Saae informou que, primeiramente, não existe água do Saae nessas localidades. Não existe serviço público do Saae no local. ?O valor para uma obra dessas não é só os gastos com o posto artesiano. Ele gira em torno de R$20 mil, mas não é apenas construir um posto, tem que fazer também as redes de distribuição, colocar um reservatório e ainda bomba, painel e padrão. Isso hoje não fica em menos de R$60 mil, R$80 mil. Podemos sentar com o prefeito e ver isso. Não é apenas a comunidade de papagaio que não tem água. Se o prefeito determinar que o Saae pode fazer este investimento, faremos. Lembrando que trabalhamos em 20 comunidades rurais e não temos retorno nenhum, temos é gastos?.
O Saae de Formiga completa 40 anos de existência em dezembro.
Fornecimento de água interrompido
O fornecimento de água foi interrompido nesta quarta-feira (19) devido à reforma na parte elétrica da Estação de Tratamento de Água (ETA), além da manutenção da rede Adutora de Água Bruta. Paulo Quintiliano pediu a colaboração de toda a população para economizar água.
Na quinta-feira (20), a partir das 18h, esta previsto para iniciar o abastecimento de água. Porém, como o reservatório ficará com o nível baixo, devido à manutenção da adutora, poderá faltar água em alguns bairros da cidade. O serviço será normalizado neste domingo (23). A direção do Saae pede a colaboração de todos. Mais informações pelo 3322-1230.

Comentários
COMPATILHAR: