A distribuição de fitas de glicemia utilizadas por pacientes insulinodependentes será temporariamente suspensa no município.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a diminuição na quantidade de fitas disponibilizadas pela Secretaria de Estado de Saúde, devido a problemas na aquisição por meio de licitação, provocou a suspensão.

A secretaria distribuiu o material recebido para todos os postos de saúde. Como há postos com demanda maior, nessas unidades as fitas já acabaram. Nos PSFs onde ainda há fitas, estas serão entregues nos grupos de diabéticos somente pelo farmacêutico.

Importante lembrar que o diabético só pode pegar fitas no posto no qual é cadastrado. A Secretaria de Saúde solicita a compreensão dos pacientes e ressalta que está reivindicando ao Estado a normalização do fornecimento das fitas. Assim que houver nova remessa, os agentes comunitários de saúde informarão aos pacientes.

Apesar da suspensão ter sido divulgada nessa segunda-feira (25), são constantes as reclamações de usuários de postos de saúde de várias partes da cidade devido a falta das fitas e de outros medicamentos de uso contínuo dos portadores de diabetes mellitus.

No comércio cada tira sai em média a R$2.

O que diz a lei

A distribuição gratuita das fitas é garantida para os diabéticos por meio da Lei nº 11.347, de 27 de setembro de 2006, e regulamentada por meio da portaria do Ministério da Saúde de nº 2.583, de 10 de outubro de 2007: que em seu artigo 1 define “o elenco de medicamentos e insumos que devem ser disponibilizados na rede do Sistema Único de Saúde, destinados ao monitoramento da glicemia capilar dos portadores de diabetes mellitus”.

Comentários
COMPATILHAR: