Duas mortes por Covid-19 foram registradas no abrigo de idosos Frederico Corrêa, em Itapecerica.

O abrigo confirmou os óbitos e informou que as vítimas são do sexo feminino e masculino, mas não divulgou as idades. As mortes ocorreram na sexta (9) e sábado (10).

No fim de agosto, 24 moradores do abrigo testaram positivo para a Covid-19. Nesta segunda-feira (12), o tesoureiro do Abrigo, Nivaldo Selmo Diniz Araújo, relatou que as duas vítimas que morreram neste final de semana não fazem parte do grupo que testou positivo em agosto.

Principalmente, devido a isso, foi realizada uma nova testagem em massa nos 61 abrigados e 27 colaboradores.

Do total, cinco abrigados apresentaram resultados positivos para a doença. Estão assintomáticos e já foram colocados em isolamento.

O abrigo passou por procedimento de desinfecção das áreas externas do prédio. Ainda em nota, a instituição disse que tanto o abrigo quanto a Secretaria Municipal de Saúde não têm medido esforços para que os efeitos do novo coronavírus no local sejam de menor impacto possível.

“Sabíamos que o nosso Abrigo não era uma ilha de exceção e que a qualquer momento o vírus chegaria como de fato chegou”, afirmou, reforçando que os moradores com a doença são monitorados diariamente.

“Assim que tivemos conhecimento e seguindo as recomendações da Secretaria Municipal de Saúde providenciamos o isolamento dos moradores no espaço do Centro de Convivência no próprio abrigo, contando também com a presença de quatro colaboradores que estão também isolados com os moradores. Eles fazem o monitoramento durante 24h por dia de todos os sintomas vitais”, finalizou.

Dos 66 moradores do Abrigo Frederico Corrêa, 24 testaram positivo para o coronavírus. Na ocasião, 15 destes ficaram em isolamento e assintomáticos e outros nove tinha se curado da doença, conforme informação divulgada no dia 21 de agosto pela instituição em rede social. Um dos colaboradores do local também teve resultado positivo para a doença e ficou isolado.

Foram 42 testes negativos em moradores e 30 negativos entre os colaboradores. Os testes foram realizados depois que um idoso e um colaborador terem confirmações para a doença.

As equipes do abrigo e da Secretaria Municipal de Saúde estão envolvidas na ação para manter os padrões sanitários aplicáveis contra o coronavírus.

De acordo com a direção da instituição, foi feita uma ação de bloqueio sob supervisão da Secretaria Municipal de Saúde, que realizou todos os protocolos de segurança previstos para a situação, conforme o Ministério da Saúde.

A intenção é evitar a contaminação dos abrigados, pois estes fazem parte do grupo de risco. Todos os colaboradores e moradores foram testados para a Covid-19, segundo o abrigo.

Curados

Dos 16 moradores do Abrigo que testaram positivo para o coronavírus e estavam em isolamento, 14 estão curados, segundo informações divulgadas pelo próprio abrigo no dia 9 de setembro.

Fonte: G1

Comentários