Ebola já matou mais de 8 mil pessoas na África Ocidental

Para o chefe da Missão das Nações Unidas para o Combate ao Ebola, o vírus ainda é uma ameaça preocupante

Para o chefe da Missão das Nações Unidas para o Combate ao Ebola, o vírus ainda é uma ameaça preocupante

O total de mortos pelo surto de ebola na África Ocidental subiu para 8.153, com 20.656 casos registrados, informou nesta segunda-feira (5) a Organização Mundial da Saúde (OMS).
Quase todos os casos de infecção e mortos foram registrados nos três países mais afetados: Serra Leoa, Libéria e Guiné-Conacri.

Há também registro de oito mortos na Nigéria, país declarado em outubro livre do ebola, seis no Mali e um nos Estados Unidos. A Espanha e o Senegal, que já foram declarados países livres do ebola, têm um caso cada, mas não há registro de mortos. Na última semana, o Reino Unido noticiou o seu primeiro caso confirmado de ebola, uma enfermeira que voltou de Serra Leoa, cujo estado foi considerado crítico.

No mês passado 678 profissionais de saúde foram infectados, dos quais 382 morreram, informou a OMS.

O chefe da Missão das Nações Unidas para o Combate ao Ebola (Unmeer), Anthon Banbury, disse que a África Ocidental não está prestes a se livrar do ebola e destacou que a comunidade internacional deve dar continuidade aos esforços para combatê-lo. ?O que me preocupa, acima de tudo, é saber quando vamos atingir números mais baixos ? o que deverá acontecer já em 2015, estou convencido disso. Mas, com um caso aqui e mais dois acolá, [o vírus] continua a ser uma ameaça preocupante para qualquer comunidade em qualquer país?, sublinhou, instando a comunidade internacional a não desviar a atenção do ebola até que a epidemia seja controlada.

Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Ebola já matou mais de 8 mil pessoas na África Ocidental

Para o chefe da Missão das Nações Unidas para o Combate ao Ebola, o vírus ainda é uma ameaça preocupante.

Para o chefe da Missão das Nações Unidas para o Combate ao Ebola, o vírus ainda é uma ameaça preocupante.

 

O total de mortos pelo surto de ebola na África Ocidental subiu para 8.153, com 20.656 casos registrados, informou nesta segunda-feira (5) a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Quase todos os casos de infecção e mortos foram registrados nos três países mais afetados: Serra Leoa, Libéria e Guiné-Conacri.

Há também registro de oito mortos na Nigéria, país declarado em outubro livre do ebola, seis no Mali e um nos Estados Unidos. A Espanha e o Senegal, que já foram declarados países livres do ebola, têm um caso cada, mas não há registro de mortos. Na última semana, o Reino Unido noticiou o seu primeiro caso confirmado de ebola, uma enfermeira que voltou de Serra Leoa, cujo estado foi considerado crítico.

No mês passado 678 profissionais de saúde foram infectados, dos quais 382 morreram, informou a OMS.

O chefe da Missão das Nações Unidas para o Combate ao Ebola (Unmeer), Anthon Banbury, disse que a África Ocidental não está prestes a se livrar do ebola e destacou que a comunidade internacional deve dar continuidade aos esforços para combatê-lo. “O que me preocupa, acima de tudo, é saber quando vamos atingir números mais baixos – o que deverá acontecer já em 2015, estou convencido disso. Mas, com um caso aqui e mais dois acolá, [o vírus] continua a ser uma ameaça preocupante para qualquer comunidade em qualquer país”, sublinhou, instando a comunidade internacional a não desviar a atenção do ebola até que a epidemia seja controlada.

Redação do Jornal Nova Imprensa Agência Brasil

Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.