O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a dizer que não vai exigir passaporte da vacina para a população.

Em evento, nesta segunda-feira (18), em São Roque de Minas, o presidente defendeu a escolha da população em tomar os imunizantes. 

“Eu tinha poder por meio de decreto exigir passaporte da vacina, mas não fiz, porque respeito a liberdade de vocês de escolher tomar ou não a vacina, que são todas ainda experimentais”, afirmou. 

Bolsonaro ainda citou personalidades que tomaram as duas doses e se contaminaram com Covid-19. 

“O ministro da Saude vacinou com as duas doses e contraiu a doença, a ministra da Agricultura, Teresa Cristina, também contraiu”, ressaltou Bolsonaro. 

O presidente também aproveitou para defender o uso de medicação sem comprovação de eficácia contra Covid-19. 

“O médico tem autonomia de definir junto com o paciente, quando não se tem alguma solução, a utilização de remédios que não estão na bula, o chamado tratamento off label”, pontuou.

Fonte: O Tempo

Comentários