A empresa Ematex Têxtil, no Prado, na região Oeste de Belo Horizonte, que foi destruída por um incêndio na manhã desse domingo (20), não possuía o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, de acordo com a corporação. O documento é emitido após a verificação das medidas de segurança instaladas nas edificações.

Os bombeiros ainda trabalham no combate ao fogo, e mais de 65 militares já participaram das operações. Na manhã desta segunda-feira (11), duas retroescavadeiras da Prefeitura de Belo Horizonte foram cedidas para os trabalhos. De acordo com o major Marcus Vinicius Santana, os focos de incêndio tiveram uma redução significativa.

“A gente está com um único foco confinado e, com as retroescavadeiras, temos condições de revirar esses escombros e, gradativamente, atacar esse único foco. O incêndio foi controlado, está restrito e foi isolado”, afirmou.

Segundo ele, ainda não há informações sobre as causas do incêndio, mas a característica do material facilitou a propagação das chamas. “Havia vários rolos de tecido, uma quantidade de material muito grande que queima com muita facilidade, então o incêndio se propagou muito rapidamente”, pontuou.

 

Fonte: O Tempo Online||

Comentários