Três integrantes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram presos, na noite desse domingo, em Belo Horizonte, após recusarem entrar em uma favela para socorrer um homem de 88 anos com problemas respiratórios. A equipe foi detida por omissão de socorro e conduzida até a delegacia.
Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, a equipe, formada por um motorista e duas técnicas de enfermagem, chegou a entrar no Morro do Papagaio, mas se sentiu ameaçada após ver homens com armamento pesado e procurou o batalhão da Polícia Militar mais próximo.
Os policiais do 12º Batalhão da PM teriam oferecido auxílio com viatura para acompanhar a unidade de resgate do Samu até a casa do paciente. Mesmo assim, os profissionais se negaram a subir na favela por não considerarem a escolta oferecida suficiente diante do risco que sentiram.
Ainda segundo a secretaria, os profissionais teriam negociado um acordo verbal para que os policiais entrassem no morro e avaliassem as condições de segurança. Caso a equipe e o paciente pudessem sair em segurança, a ambulância entraria na favela; caso contrário, a viatura policial traria o paciente até a unidade do Samu. Os policiais, no entanto, teriam levado o paciente, por conta própria, para o Hospital Odilon Behrens.
Paciente já foi atendido por Samu
A equipe do Samu foi conduzida para a Delagacia Seccional Sul, onde foi ouvida pelo delegado de plantão. A equipe do SAMU ficou na delegacia durante quatro horas e meia. Os três profissionais foram liberados, mas terão que participar de uma audiência no Juizado Especial Criminal.
A Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte afirmou que foi aberta uma sindicância para apurar o caso. Os três profissionais não foram afastados de suas funções e trabalham normalmente.
O paciente foi atendido no hospital e recebeu alta por volta das 21h20 desse domingo. Segundo a secretaria, o idoso possui doença pulmonar crônica e já foi atendido outras vezes pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.
Em nota, a secretaria informou ainda que vai estreitar as relações com a Polícia Militar para que sejam firmados acordos e estabelecidos procedimentos de rotina para situações semelhantes.

Comentários
COMPATILHAR: