O presidente do senado, José Sarney, recebeu estudantes na abertura da nova exposição no túnel que liga o plenário aos gabinetes, conhecido como túnel do tempo.
São 16 painéis sobre fatos históricos desde o império até os tempos atuais. Os estudantes conheceram um pouco mais sobre o suicídio de Getúlio Vargas, souberam detalhes da campanha das Diretas e viram a foto do então presidente da República, José Sarney jurando a constituição de 1988.
Os estudantes aprenderam muitas coisas, mas se dependesse só dessa exposição, eles não iriam saber que o Senado teve um papel fundamental no Impeachment do presidente Collor em 1992. É que esse importante fato histórico que constava nos antigos painéis do túnel do tempo, desta vez, foi simplesmente ignorado.
Em nota oficial, o Senado justificou a ausência dizendo que o foco da exposição é mostrar a produção legislativa do Congresso Nacional. Questionado, o presidente José Sarney disse que coube a historiadores decidirem pela não menção ao Impeachment.
?Não posso censurar os historiadores que foram encarregados de fazer a história. Acho que talvez esse episódio seja apenas um acidente que não devia ter acontecido na história do Brasil. Mas, não é tão marcante como foram, os fatos que estão contados. Foram os que construíram a história e não os que, de certo modo, não deviam ter acontecido?, afirma Sarney.

Comentários