Doação de reajuste
Na reunião da semana passada do Legislativo, o vereador Dr. Reginaldo votou contra o aumento anual nos salários dos vereadores. Esta semana, durante a reunião de segunda-feira (4), disse que de acordo com a contabilidade da Casa, ele não poderia deixar de receber o aumento. Decidiu então que fará a doação do reajuste no valor de R$ 232,57 para três entidades: Mão Amiga, Casa Espírita São Lázaro e Asilo São Francisco de Assis. Entende que se votou contra não é justo agora receber o benefício, daí a decisão de doá-lo.
Permanência de dez vereadores
Sobre o projeto ?Formiga é 10? que foi votado em primeira sessão nesta segunda-feira, Cabo Cunha, que é a favor da permanência de dez edis na
próxima legislatura, disse que: ?se o prefeito não ouve os pedidos de
10, não ouvirá de 15?, e emendou: há mais gastos sim, e com apenas 10
representantes irá sobrar mais ?dimdim??.
Regularização de escrituras
Cabo Cunha cobrou da Prefeitura a regularização das escrituras de
residências de várias famílias que ganharam lotes no município.
Segundo informou o vereador, esse seu pedido de legalização já vem
desde 2005 já que com a falta dela (regularização), o município deixa
de recolher o IPTU e as pessoas ainda ficam inseguras pois não sabe,
se são donas, ou não, de suas casas. O vereador Mazinho , em aparte,
informou que atualmente existem 2.736 imóveis sem escrituras.
Denúncia I
Moacir Ribeiro reclamou que está faltando remédios para as pessoas que
fazem tratamento no Caps. São pessoas carentes e que tomam remédio
controlado. O edil disse que o prefeito e a secretária de Saúde
precisariam ter mais sensibilidade para adquirirem tais medicamentos.
Denúncia II
Cid Corrêa denunciou que a Secretaria de Saúde continua enganando o
povo. De acordo com ele, a cadeira odontológica do PSF do bairro
Alvorada quebrou há cerca de seis meses, e ao invés de providenciarem
a sua troca ou conserto, transferiram o dentista daquele local para o
Posto de Saúde de outro bairro. Cid Corrêa disse que foi informado
também que não há dentista atendendo no PSF do bairro Água Vermelha há
dois meses, o que para ele é muito grave.
Ouvidor surdo
Mazinho disse que faltam apenas seis meses para o atual governo se
despedir e como de costume, disse mais uma vez, que a cidade está
abandonada e reconheceu que não há uma harmonia boa entre os dois
poderes, já que o Poder Executivo não gosta de vereador. Mazinho falou
que fez diversos pedidos para melhorias na iluminação pública. O
vereador disse que esse recado tinha como alvo o Ouvidor da
Prefeitura, que em sua opinião é surdo, já que não ouve vereador nem a
população.

COMPATILHAR: