Reunião da Câmara ocorrerá na próxima quinta-feira
A próxima reunião do Legislativo ocorrerá na quinta-feira (25). O presidente da Câmara, Josino Bernardes explicou que na segunda-feira (22), a mesa diretora participará de um evento em Belo Horizonte, atendendo convite do governador Antônio Anastasia, para que assistam o lançamento de vários projetos de interesse do estado e do município. Josino convidou os demais vereadores a participarem do encontro.
Transmissões de reuniões
Sobre a transmissão das reuniões da Câmara, Cabo Cunha cobrou nesta semana, mais uma vez, que se faça rapidamente a licitação ese escolha a empresa que ficará responsável pelas transmissões. Na segunda-feira, Josino Bernardes liberou para que a reunião fosse transmitida via rádio e foi aplaudido pelos presentes.
Nervos à flor da pele I
O vereador Zezinho Gaiola disse na reunião que não havia nepotismo na Prefeitura de Formiga. Em seguida, ele disse que se for assim, os ex-prefeitos Juarez Carvalho e Aluísio Veloso também praticaram nepotismo quando foram chefes do Executivo. O edil foi vaiado pelos presentes e disse que não tinha medo de vaia e enfrentou a ?seleta? plateia afirmando que queria mesmo que o vaiassem.
Nervos à flor da pele II
Ainda sobre o nepotismo, Zezinho Gaiola ressaltou que não estava nem aí para os filhos do vice-prefeito Eduardo Brás e nem para a mesa diretora da Câmara. ?Podem vaiar, se quiser encarar numa boa, na língua eu sou ?bão? também, não tenho medo nem de homem, nem de mulher?.
Parentes de vereador
Após Zezinho Gaiola falar sobre a retirada de dois artigos do projeto contra o nepotismo, citou como exemplo o seu cunhado, Alex Arouca, que é professor de ensino musical em escola municipal. Cabo Cunha disse que o músico foi aprovado em concurso público e em primeiro lugar. Zezinho Gaiola disse: ?Tinha que retirar mesmo os artigos. A minha irmã que é dona de fábrica de blocos, daqui a algum tempo ela poderia entrar nas licitações. Daqui a um ou dois meses, isso poderia ser jogado na minha cara, pois eu sei como as coisas são aqui?.
Condenando o nepotismo
Cabo Cunha ressaltou que, atualmente, o nepotismo é altamente condenado na esfera federal. ?E aquele que não é parente nem do prefeito, nem do vice e nem do vereador, a quem ele vai recorrer? Há um círculo vicioso neste ano em que as pessoas apadrinhadas estão nos melhores escalões. A Constituição da República em seu artigo 7º é clara (…)?.
Os afoitos
Ainda segundo o vereador não cabe ao Observatório da Política Formiguense conhecer e dizer como os projetos serão votados. ?Isso cabe aos dez vereadores, é para isso que fomos eleitos, podemos até ouvir os nossos amigos. Isso sem falar quando somos afoitos, o afoitismo se dá é lá no Executivo, quando não se faz um processo licitatório para o carnaval, gastando R$300 mil?.
Nada contra a família Brás I
Sobre o nepotismo, Luciano Duque destacou que a impressão é de que o Legislativo está falando somente dos filhos do vice-prefeito e não é assim. ?Pelo contrário, queremos é moralidade. Se houve nepotismo em outras gestões, temos que viver é de agora para frente. Temos os acertos por meio dos erros?.
Nada contra a família Brás II
Arnaldo Gontijo contou que conversou apenas duas vezes com Eduardo Brás, disse que não conhece os seus dois filhos e que o projeto contra o nepotismo irá corrigir o problema daqui pra frente. ?Não é nada contra ele, poderia ser qualquer um. Foram ilegais as contratações e com esse projeto vamos corrigir esse erro. Isso é para combater a imoralidade também, foi imoral ele nomear os seus filhos?, disse.
Falta de decoro parlamentar I
Zezinho Gaiola disse, mas que não tinha certeza, se de fato Cabo Cunha havia mencionado sua irmã, que é proprietária da referida fábrica de blocos. Cabo Cunha retrucou: ?O senhor está com um lapso de memória muito grande, uma demência muito grande. Nem sei se sua irmã tem fábrica de blocos?. Zezinho Gaiola se levantou e disse que se retirava do recinto naquele momento. A plateia aplaudiu o ocorrido e o vereador do PMDB também aplaudiu (foto abaixo) com ironia os presentes. Zezinho foi até próximo ao colega Cabo Cunha e lhe estendeu a mão. A recíproca, neste caso, não foi verdadeira!
Falta de decoro parlamentar II
Ainda sobre o ocorrido, Cabo Cunha disse que Zezinho Gaiola não tinha que pedir perdão a Deus e sim, desculpas a ele. ?Deus vai perdoar é quando o senhor morrer. Pare de colocar Deus nas coisas. O senhor está sendo irônico e grosso comigo, eu nunca o fui com Vossa Excelência. Eu nunca bati palmas para ninguém aqui. Eu quero que a mesa diretora coloque para a apreciação do plenário a falta de decoro, isso não pode ser permitido, ele vir aqui e me aplaudir?. No momento da inédita ocorrência, ao vivo e a cores, o público presente aos gritos lembrou à mesa que aquela atitude poderia ser enquadrada como ?falta de decoro parlamentar? e Cabo Cunha reforçou o pedido, mas a mesa não o acatou.
Ex-prefeito teria que pagar a conta dos bombeiros
Juarez Carvalho ironizou e disse que a ?imprensa oficial? publicou notícia dando conta de que o prefeito do PT, da gestão passada, não teria pago as contas telefônicas do Corpo de Bombeiros, vencidas no dia 1º de janeiro. ?Imagina se o prefeito que saiu, assina um cheque no dia primeiro dia do ano? Que coisa triste isso, um homem ser marginalizado, ele é prefeito do passado?.
Melhor legislatura?
Pastor Manoel contou que quando iniciou a atual legislatura, ouviu dizer que esta seria a melhor dos últimos tempos. ?Não querendo menosprezar os demais, mas será que daqui a quatro anos seremos os melhores? Nós, neste tempo aqui decidimos o melhor para a população?.
Saúde nota 10
O vereador Juarez Carvalho, por meio de ofício, solicitou informações sobre os 16 PSF?s em Formiga. Em resposta, o secretário de Saúde, Rafael Tomé explicou que todas as unidades estão em perfeito funcionamento. Cada posto conta com um médico clínico geral, um dentista, um auxiliar de saúde bucal, um enfermeiro, técnico de enfermagem e agentes comunitários. A pasta disponibiliza ainda outros profissionais como nutricionista, fisioterapeuta e psicólogo.
Vereador do PMDB critica importação de secretários
Mauro César ?chutou o pau da barraca? e, assim como na semana passada, criticou novamente o secretariado de Formiga, em especial os importados de outras cidades. ?Quem votou no prefeito Moacir Ribeiro foi gente de Formiga e não de fora. Que ele exonere todos os secretários de fora e coloque formiguenses competentes para ocupar esses cargos, com certidão de nascimento de Formiga. Essas pessoas de fora são boas, mas que eles trabalhem para a cidade deles. Não podemos aceitar que uma cidade com quatro cursos de engenharia e um de arquitetura busque secretário em Belo Horizonte ou um secretário de Saúde em Piumhi, uma pessoa que é presidente do Sindicato Rural?.
Registro de marcas e patentes
Em sua fala, Mauro César destacou que ficava muito triste com a situação em Formiga. Juarez Carvalho, imediatamente interferiu e disse que aquele bordão já era dele e que já estava registrado em cartório. ?Essa palavra triste, eu não gostaria que você usasse mais não, porque eu já a registrei em cartório. Você já é o 4º ou 5º vereador que diz isso?. A plateia caiu na risada.
Ao prefeito o que lhe é de direito
Ainda de acordo com Mauro César, Moacir Ribeiro não deve ser um prefeito apenas de direito, mas sim, um prefeito de fato. Juarez Carvalho, na mesma linha, emendou: ?quem foi eleito prefeito de Formiga tinha que estar preparado para administrar a cidade?.
Linha direta com o palácio
Sandro Figueiredo, que faz parte do GVPBPM – (Grupo de Voluntários Para o Bem da Prefeitura Municipal) – que às segundas faz plantão na Câmara, por telefone comunica à chefia a aprovação do projeto contra o nepotismo (foto abaixo). Foi tão discreto que o fez fora do recinto, prato cheio para os paparazzi, que já criaram a coluna ?Alô, é da Prefeitura??.
Contratação da dupla Gino e Geno
Cabo Cunha falou sobre a real situação que se encontra a saúde em Formiga e fez um paralelo com a contratação pela Prefeitura, da dupla Gino e Geno, para apresentação no dia 1º de maio, com gastos estimados em torno de R$171 mil. ?Como vamos contratar uma dupla dessas? Os cofres públicos não podem gastar dinheiro com pessoas sofrendo na saúde. Pedimos que a Prefeitura repense sobre o assunto, que os formiguenses tenham direito a saúde?. O vereador contou ainda que foram votados na Câmara, até o momento, R$7.700 milhões somente de projetos com superávit de arrecadação, o que, não dá credibilidade alguma às falácias de que não se tem dinheiro, especialmente quando se trata de conceder aumento ao funcionalismo.

Comentários