Não saber a diferença entre exame ginecológico e Papanicolaou, achar que não é necessário ir ao médico quando não há sintomas e ter feito laqueadura são fatores de risco para o surgimento de câncer de colo do útero nas mulheres, segundo uma pesquisa da Fundação Antônio Prudente e do Hospital A.C.Camargo.
Foram entrevistados 178 pacientes do Hospital A.C. Camargo, no estado de São Paulo, e do Hospital de Câncer de Barretos (interior paulista), no ano passado. A pesquisa foi feita pela farmacêutica especialista em oncologia Andrezza Viviany Lourenço.
De acordo com o estudo, parte das pessoas entrevistadas tinha lesões precursoras do câncer de colo do útero, ou seja, tinha feito exames preventivos e detectado a doença no estágio incial. As demais já tinham a doença no estágio avançado.
Ainda segundo o estudo, a falta de informação sobre a importância dos exames foi igual para as mulheres que estavam se tratando no hospital público, de Barretos, e no privado, o A.C. Camargo. Os principais fatores de risco encontrados pela pesquisa foram idade igual ou acima de 35 anos, não saber a diferença entre o Papanicolaou (exame que usado para detectar o problema) e o exame ginecológico, não ver importância na realização de exames, ter feito laqueadura e, por isso, não usar mais camisinha, não ter sintomas e achar não ser necessário ir ao médico.

Comentários
COMPATILHAR: