Ao menos 61 pessoas foram retiradas de suas casas após ficar constatado que a barragem de água de Paraisópolis, no Sul de Minas, apresenta avarias na estrutura. Desde o ano passado ela está em nível 3 – considerado de emergência.

Por meio de nota, divulgada na tarde desta sexta-feira (1º), a assessoria de imprensa da cidade informou que “há risco de rompimento”, mas a evacuação não foi de urgência e já era uma ação programada.

De acordo com o município, a barragem é responsável por abastecer a cidade quando necessário, em caso de seca, por exemplo. Neste ano, a atual administração iniciou os trâmites para o registro da represa e, em setembro, equipes do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) estiveram no local e afirmaram que a retirada das famílias seria necessária. O cadastro dos moradores foi realizado nos últimos dias.

“Nós tivemos uma nova avaliação e vamos aumentar a área de evacuação da represa que é acima da usina. Nossa equipe está desde de manhã orientando as famílias que vão ser conduzidas parea casa de familiares ou hotéis com toda a assistência necessária que existe. Os animais também estão sendo direcionados de forma correta para locais mais seguros. Existe um risco de rompimento, mas a represa não está rompendo”, explicou o prefeito Éverton de Assis em vídeo postado nas redes sociais da Prefeitura.

Devido à situação, um gabinete de crise, formado pela prefeitura e todas as secretarias, Cedec, Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, foi criado. 

Ainda conforme o comunicado do município, as famílias foram retiradas dos imóveis localizados no bairro Serra da Usina e serão encaminhadas às residências de parentes ou a hotéis. Moradores do bairro Rio Vermelho, que fica mais afastado da área, passarão por treinamento de evacuação de emergência, orientado pela Defesa Civil. A data da ação ainda não foi divulgada.

Represa artificial

Segundo a Prefeitura, a represa artificial foi construída na década de 1980 e está localizada no Parque Municipal do Brejo Grande. “Desde que entramos na prefeitura estamos buscando meios de recuperação da nossa represa, a qual foi muito debatida, eu mesmo já trouxe essa discussão e, hoje, como prefeito para que a gente possa recuperá-la para que esse patrimônio esteja em condições necessárias de segurança para a população e que traga uma reserva de abastecimento da cidade”, detalhou o prefeito em outro vídeo.

Fonte: O Tempo

 

COMPATILHAR: