O Governo de Minas e a Prefeitura de Belo Horizonte criaram um book para a Copa do Mundo da FIFA 2014, apresentando as principais informações sobre o Estado, a capital e outras dez cidades mineiras candidatas a Centros de Treinamento de Seleção (CTS): Araxá, Divinópolis, Extrema, Formiga, Ipatinga, Juiz de Fora, Montes Claros, Poços de Caldas, Uberlândia e Varginha.
Além de fotos, o book apresenta informações técnicas sobre estas cidades, como a temperatura média em junho e julho, aeroporto, centro de treinamento e hotel sugeridos. Além disso, apresenta as distâncias e tempo de voo das cidades até cada cidade-sede da Copa do Mundo de 2014.
O book foi apresentado em um seminário promovido pelo Governo de Minas e Sebrae no dia 12 de agosto. O chefe de Gabinete, Sheldon Almeida, o secretário de Comunicação, Túlio Fonseca, e a funcionária do Furnaspark Resort, Rafaela Cravo, participaram do 1º Seminário de Centros de Treinamento de Seleção (CTS) que aconteceu no Grande Hotel Tauá, em Araxá, e recebeu cerca de 130 pessoas, entre elas, representantes de 20 cidades mineiras que estão se candidatando a Centro de Treinamento de Seleções.
Na parte da manhã, os técnicos Carlos Alberto Parreira e Francisco Maturana falaram sobre as características necessárias para um município acolher uma seleção de futebol durante uma Copa do Mundo, tendo em vista o Mundial de 2014.
Segundo Parreira, técnico do Brasil em duas Copas do Mundo e da África do Sul em 2010, as seleções não estão atrás de luxo, mas sim de uma ?hospitalidade eficiente?.
?As seleções precisam de um hotel que ofereça segurança, privacidade e conforto. De um campo de treinamento com condições perfeitas, que possua vestiários para mais de 40 pessoas, arquibancada para 500 pessoas, no mínimo, e um espaço reservado para a imprensa? , disse Parreira.
O ex-técnico da seleção brasileira explicou ainda que é o técnico e sua comissão que escolhe a cidade onde as seleções vão fazer suas temporadas e frisou que ele mesmo já escolheu cidade que estava fora do book da Fifa. ?A parte de quem quer receber é oferecer um produto de excelência, de qualidade e que atenda as necessidades das específicas seleções?, afirma. Ele destacou que um aeroporto próximo, com trânsito facilitado, hotel seguro e com privacidade são pontos positivos para as candidatas a CTS. ?A gente não quer muita coisa não, queremos um hotel que dê segurança, privacidade e que dê conforto aos jogadores?, destacou.
Parreira acredita que as cidades candidatas a CTS devem ?dar muita visibilidade para as propostas, enviar materiais informativos de alto nível para os chefes das delegações e convidá-los para uma visita para mostrar o que têm de bom.?
Na parte da tarde, o ex-jogador de futsal, Maurício Marques ministrou uma palestra, dando dicas importantes e eficientes às cidades que desejam ser uma CTS da Copa de 2014.

Comentários