Da Redação 

Formiga recebeu cinco mil doses de vacina contra a febre amarela. A distribuição foi realizada pela Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Divinópolis.

Apesar da cidade está fora da área de contágio, a procura pela imunização nos postos de saúde foi grande, tanto que em algumas unidades chegou a faltar vacina.

De acordo com a Prefeitura, a partir desta terça-feira (21), as vacinas já estão disponíveis para a população. Mas a imunização não será feita em massa, ou seja, os postos vacinarão apenas quem não recebeu a segunda dose da vacina.  “Vale ressaltar que nosso município, até o momento, não teve nenhum caso suspeito, o que culminou na demora da entrega desse lote grande de vacinas”, explicou o secretário de Saúde, José Geraldo Pereira.

Embora o foco da doença esteja concentrado nas regiões Leste e Nordeste de Minas, nas cidades localizadas nos vales do Rio Doce e Mucuri e na Zona da Mata, há casos confirmados e suspeitos de febre amarela em outras áreas de Minas (Norte e Sul) e até em outros estados.

Na região Centro-Oeste, dois macacos morreram com febre amarela, um em Japaraíba e outro em São Roque de Minas. Outras 18 cidades da região possuem rumores de morte de macacos causada pela doença – ou seja, animais mortos foram encontrados, mas não foram feitos exames. Casos de três municípios estão sob investigação: Lagoa da Prata, Tapiraí e Igaratinga.

Em Lagoa da Prata um caso suspeito da doença em ser humano também está sendo investigado.

De acordo com o último boletim da Secretaria de Estado de Saúde (SES), 1.012 casos da doença foram notificados em 84 localidades no Estado neste ano. Dessas, 42 cidades tiveram confirmações da doença. Até o momento, 78 pessoas morreram em decorrência da enfermidade, e outros 96 óbitos estão sendo investigados.

Morte de primatas em Formiga

Em relação à morte de primatas, a secretaria esclarece que a equipe da Vigilância Ambiental tem feito intenso trabalho de investigação na zona rural e, até o momento, em todos os óbitos que foram informados, os corpos foram recolhidos e submetidos a exames físicos, que comprovaram a morte por atropelamento. Portanto, descartando assim a possibilidade desses primatas serem vetores de febre amarela.

A pasta solicita que a população auxilie, informando as mortes de primatas para o Setor de Vigilância Ambiental. O contato deve ser feito com Walter pelo telefone (37) 99951-9011.

Ações

Ações de conscientização já estão sendo feitas na zona rural. Um roteiro de palestras e vacinação foi elaborado para as pessoas não imunizadas. Ele está sendo meticulosamente executado. Na área urbana, a equipe de controle de endemias está intensificando os trabalhos de controle do transmissor, o Aedes aegypti, pois o mosquito é o mesmo que transmite a febre amarela urbana.

A Secretaria de Saúde esclarece que não é momento de alarde, pois o município está no controle das ações preconizadas pelo Ministério da Saúde.

 

 

Fonte: Secom||

Comentários
COMPATILHAR: