O profissional interessado em chefiar a Companhia de Tecnologia da Informação (Prodemge) de Minas Gerais já pode cadastrar o currículo para concorrer ao posto. A gestão do governador Romeu Zema (Novo) abriu, nessa terça-feira (22), a vaga para diretor técnico da instituição. O selecionado terá remuneração mensal de R 22 mil, além de vale-refeição ou alimentação de R$770. A carga horária é de 40 horas semanais.

O processo de seleção faz parte do programa Transforma Minas, criado para recrutar 500 profissionais que vão trabalhar em cargos de chefia, direção e superintendência. Na segunda-feira (11), o Estado já havia divulgado vagas para Subcontrolador de Governo Aberto, Corregedor-Geral, Subsecretário da Receita Estadual e Superintendente de Proteção Social Básica. O salário varia de R$ 6.600 a R$ 19 mil.

Para ocupar o cargo da Prodemge, o candidato deve preencher o cadastro no site Transforma Minas até o dia 22 de abril. O escolhido ficará abaixo do presidente da companhia e será responsável pela gestão de oito superintendências, que têm, juntas, aproximadamente 875 funcionários.

De acordo com o Estado, a estimativa de orçamento da Prodemge é de R$ 330 milhões e o novo diretor técnico será o ordenador das despesas. Segundo o edital, o mandado dos membros da diretoria é de 2 anos, “sendo permitidas, no máximo, 3 reconduções consecutivas”.

Confira abaixo alguns detalhes da vaga:

Diretor Técnico Prodemge
Inscrições até: 22 de abril
Remuneração: R$ 22 mil
Benefício: vale-refeição ou vale-alimentação de R$ 770,00 por mês. Plano de saúde com coparticipação e plano de Previdência Privada
Carga horária: 40 horas semanais, preferencialmente entre 8h e 19h
Clique aqui para ter mais detalhes da vaga e fazer inscrição

Chefias

No total, serão abertas cerca de 300 vagas na administração direta e outras 200 na administração indireta. De acordo com a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), novas vagas serão lançadas nos próximos dias. Por isso, os interessados devem acessar diariamente o site do programa e acompanhar as vagas.

Qualquer pessoa que preencha os pré-requisitos e as competências exigidas em cada função pode participar do processo de seleção. As exceções ficam por conta de algumas posições, como as Superintendências Regionais de Ensino, que devem ser preenchidas necessariamente por servidores públicos efetivos – ativos ou inativos das carreiras públicas da Educação.

 

 

Fonte: Hoje em Dia ||

Comentários