Diante da pressão da indústria para que medidas sejam tomadas para combater a forte entrada de produtos chineses no país, o governo resolveu atacar a questão pelo lado da qualidade. A partir de julho, eletrodomésticos importados só poderão ingressar no mercado nacional se tiverem um selo do Inmetro. A medida deve provocar uma redução nas importações, especialmente de produtos vindos da China.
Segundo o presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), João Alziro Herz da Jornada, a exigência do selo de qualidade valerá para 90 famílias de eletrodomésticos. A medida já vinha sendo trabalhada pelos técnicos do Instituto, mas o processo acabou sendo acelerado diante dos sinais cada vez mais claros da concorrência que os produtos nacionais vêm sofrendo dos similares chineses.
Para João Alziro, ao exigir o selo de qualidade dos importados, o governo estará contribuindo para melhorar a competitividade do produto nacional. Colocamos a concorrência em um patamar igualitário, afirmou o executivo, que esteve reunido ontem com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel. Para o presidente do Inmetro, a preocupação é proteger o consumidor brasileiro, mas o governo estará atacando vários problemas de uma vez só.
Veículos. Além dos eletrodomésticos, o Inmetro também está trabalhando na certificação de autopeças. O programa deverá ser implantado a partir de março.

Comentários