O horário de verão começou à 0h deste domingo (17), quando os relógios foram adiantados para 1h, o que significa que os brasileiros dos estados do Sul, Sudeste e Centro Oeste, além do Distrito Federal, tiveram que acordar uma hora mais cedo.
Segundo o médico Jacob Faintuch, clínico geral do Hospital das Clínicas de São Paulo, o corpo demora uma média de cinco dias para se adaptar à mudança no relógio. Para ele, o ideal para preparar o organismo para o novo horário é manter uma boa qualidade do sono.
Para o especialista em sono Marus Sallum, a redução nas horas de sono pode provocar déficit de atenção, o que exige mais cuidado no momento de dirigir, por exemplo. A privação de sono prolongada pode levar ainda às palpitações no coração e até arritmia cardíaca, em pessoas que já tenham predisposição.
O especialista explica que quem mais sofre com a variação são as pessoas que já dormem pouco e as mais velhas. ?O idoso já tem o costume de dormir pouco, de 5 a 6 horas por noite, mas um sono picado. Nos dias seguintes à mudança é normal que essas pessoas sintam muita sonolência. A recomendação é deixar a janela do quarto aberta, porque quando a claridade entrar a pessoa já começa a acordar? . Cerca de 80% da população precisa dormir 8 horas por noite, há 10% que precisam dormir mais e outros 10% que precisam menos.
A melatonina é o hormônio regulador do sono e é acionada pela falta de luz, por isso acaba sendo alterada por causa da mudança de horário. Uma dica é evitar situações estimulantes no final da tarde ou no início da noite.
Outras dicas são: fugir do café e do chá preto para uma noite melhor; além disso, se alimentar demais no jantar, ir dormir sem comer, tomar banho muito frio ou muito quente, e ler livros ou ver filmes muito estimulantes nas horas que antecedem o sono também podem atrapalhar.
O objetivo do Horário de Verão é aproveitar melhor a luz solar para diminuir o consumo de energia elétrica. O Ministério de Minas e Energia tem como meta reduzir em 5% o consumo de energia nos momentos de pico.
Outra dica do especialista em sono Marus Sallum para quem quer dormir bem é de pelos próximos quatro dias diminuir 15 minutos no relógio, para se adaptar. ?O conselho é que o mais importante para o organismo humano é criar uma rotina. Deitar e levantar no mesmo horário. Nos próximos dias se as pessoas dormirem e acordarem sempre na mesma hora terão um dia muito mais descansado? , esclarece o médico.

Mais dicas
– evite calor e frio excessivos;
– escolha colchão e travesseiro adequados e ambiente silencioso;
– não pratique exercícios intensos antes de dormir;
– diminua a luminosidade do ambiente, evite televisão, computador ou relógio luminoso ligados;
– evite banhos frios ou muito quentes antes de dormir;
– não durma além do necessário;
– procure dormir mais cedo nos próximos dias, para adaptar-se ao novo horário;
– tirar um cochilo de 20 a 40 minutos após o almoço pode ser reparador.

Comentários
COMPATILHAR: