Representantes do Executivo, Polícia Militar (PM) e do governo de Minas se reuniram nesta sexta-feira (19) para avaliar as condições da estrutura física do hospital. Unidade deveria ter sido entregue em 2012.

A Prefeitura e o governo do Estado estão discutindo a possível abertura de leitos para tratamento exclusivo de pacientes com Covid-19 no Hospital Público Regional, em Divinópolis. Na manhã dessa sexta-feira (19), o prefeito Gleidson Azevedo (PSC) acompanhado da vice-prefeita Janete Aparecida (PSC) estiveram na sede da unidade com representantes da Polícia Militar (PM) e do Estado, com o objetivo de avaliar as condições da Unidade.

O Hospital era para ter sido entregue em 2012; quase dez anos depois, o serviço ainda não foi finalizado. Os trabalhos no local sofreram diversas interrupções por conta da falta de recursos. A última foi há quatro anos e segue até hoje. Por enquanto, não há previsão de quando serão retomadas as obras no local.

O prefeito Gleidson Azevedo falou com a equipe de reportagem da TV Integração sobre a visita de representes do estado no Hospital.

“Eles [governo] estão aqui para viabilizar e poder anunciar quando será a abertura de leitos. Eles têm que liberar, porque o momento agora é de salvar vidas”, disse o prefeito.

O Hospital

O Hospital Público foi anunciado em 2009 e a construção começou em 2010. Inicialmente o projeto previa um investimento de R$ 48 milhões. Apesar disso, ao longo dos últimos anos foram investidos cerca de R$ 60 milhões na obra. O hospital tem diversos pavimentos já construídos, mas ainda não são suficientes e não tiveram a construção finalizada.

De acordo com a Prefeitura, mais R$ 100 milhões são necessários para finalizar os trabalhos no Hospital. A expectativa é que este recurso venha por meio do acordo firmado entre o governo de Minas e a mineradora Vale. Contudo, ainda não há data para que isso ocorra.

No dia 2 de fevereiro, o Estado afirmou que a retomada das obras nos Hospitais Públicos está entre as pautas prioritárias.

Prioridades

Em 2019, o governador Romeu Zema (Novo) afirmou à TV Integração que com o acordo fechado com a Vale, por causa do desastre de Brumadinho, entrariam nos cofres do Estado recursos que poderiam ajudar na retomada dos Hospitais.

“Quero deixar claro que, se dependesse de mim, eu já teria concluído o Hospital Regional de Divinópolis. Mas, infelizmente, não temos recursos e eu não quero ser irresponsável de vir aqui, como já aconteceu por outras pessoas no passado, em soltar foguetes e falar que está reiniciando a obra e depois ela não ser concluída e a população ficar frustrada. Mas o acordo com a Vale está caminhando bem e é muito provável que seja concluído. Dentro deste valor que a Vale vai pagar, vai permitir a conclusão”, afirmou.

Ainda segundo Zema, a situação do Hospital de Divinópolis seria vista dentro das possibilidades que o governo tinha para viabilizar a conclusão deste projeto.

“Mesmo que os recursos da Vale não nos deem para fazer essa conclusão, vamos ter que estudar outras alternativas. Talvez leve mais seis meses, mais um ano. Sei que a cidade precisa. É um sonho, anseio meu, e estou trabalhando com os deputados Cleitinho Azevedo (PPS) e Domingos Sávio (PSDB). Ambos sempre me solicitam, nós faremos um laço. Quero muito atender Divinópolis nessa questão, vamos arrumar um meio”, concluiu.

Danos estruturais

Sem manutenção, as paredes do Hospital já apresentam problemas. A equipe de reportagem da TV Integração percorreu os corredores da unidade. Mofo nas paredes e infiltração no teto foram alguns dos problemas encontrados. Aparentemente, a estrutura do prédio não foi deteriorada.

Fonte: G1

Comentários